algodão

Durante debate sobre potencialidade agroecologia em Remígio, Deputada Pollyanna destaca a importância da produção do algodão no Estado

A deputada Pollyanna Dutra também participou do evento e destacou a importância de conhecer os benefícios da agroecologia

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), através da Comissão de Desenvolvimento, Turismo e Meio Ambiente, realizou audiência pública no município de Remígio, no Brejo paraibano, nesta sexta-feira (08), para debater os potenciais da cultura agroecológica no Estado. O objetivo foi construir estratégias para que mais cidades paraibanas possam investir na produção agroecológica. Os participantes realizaram também uma visita de campo ao assentamento Queimadas, que vem se destacando na produção de algodão.

O deputado Chió, autor da propositura, destacou que a escolha da audiência em Remígio foi para realizar o debate durante o Festival da Cultura Agroecologia, que acontece no município até o domingo. "Aproveitamos o evento para mostrar a necessidade do investimento em alimentos orgânicos na nossa Paraíba, que vive um importante momento em sua produção e com reconhecimento nacional. É preciso potencializar essas estratégias", ressaltou o parlamentar.

A deputada Pollyanna Dutra também participou do evento e destacou a importância de conhecer os benefícios da agroecologia. Ela enfatizou a produção do algodão no Estado, que também foi um dos temas discutidos pelos presentes na audiência. "Foi muito importante essa discussão para que a gente entendesse como acontece essa cadeia. Falamos sobre o algodão também e de toda a produção que é realizada na Paraíba. Nós trouxemos para cá o debate para entender as dificuldades e traçar soluções que beneficiem principalmente o homem do campo", disse a deputada.

A audiência pública está inserida na programação do VII Festival de Cultura Agroecológica que acontece até domingo no município, sendo realizado pela ONG Arribaçã, em parceria com a prefeitura municipal, o Governo da Paraíba, a Rede Borborema de Agroecologia, a Embrapa Algodão, a SECULT, o PROCASE, o IICA e a SEAFDS. "Celebramos a colheita, os resultados e ao mesmo tempo, construímos parcerias. A população celebra e ao mesmo tempo a gente faz negócio, gera desenvolvimento econômico”, disse o coordenador do Festival, Marenilson Batista.

"Consideramos esse investimento na agricultura. Queremos eliminar de vez o agrotóxico e por isso temos realizado mudanças e buscado recursos para investir na agroecologia. A Assembleia está de Parabéns por trazer para Remígio esse debate tão produtivo para o campo", afirmou o secretário de Agricultura Familiar do Estado, Luiz Couto.

Além da audiência pública, a programação do festival reservou rodas de conversa, dia de campo, mostra cultural e gastronômica, desfile de moda, tablado cultural e shows.

Repórter PB

Destaques