queixo

Paraíba ganha dois ouros e um bronze na maior premiação brasileira para queijos artesanais

O queijo Serra do Pico ganhou a medalha de bronze no “Mondial du Fromage” (Concurso Mundial de Queijos), realizado em Tours, na França

A Paraíba ganhou duas medalhas de ouro e uma de bronze no V Premio Queijo Brasil, em Santa Catarina. O queijo Serra do Pico e o Cariri de Alfazema Braba são produzidos pelo Laticínio Grupiara da Fazenda Carnaúba, em Taperoá, comandada pelo produtor rural Manelito Vilar e ficaram com na primeira colocação, disputando com 718 concorrentes. Já o queijo Arupiara ficou com o bronze na maior premiação brasileira para queijos artesanais.

“Temos muita capacidade de produção, mas nos falta investimento. Nossos queijos são de melhor qualidade e já foram premiados nacional e internacionalmente. Falta o Governo do Estado enxergar esse setor, conceder isenção de impostos e colaborar para a ampliação de emprego e renda”, destacou o deputado Tovar Correia Lima (PSDB), que na Assembleia Legislativa vem lutando pelo fortalecimento do setor agropecuário.

Segundo o parlamentar, o semiárido paraibano tem capacidade de produzir riquezas e gerar postos de trabalho. Ele lembrou que a Paraíba já é referencia na produção de queijo artesanal e isso é resultado de investimento em tecnologia, melhoramento genético do rebanho e aprimoramento da produção.

O queijo Serra do Pico ganhou a medalha de bronze no “Mondial du Fromage” (Concurso Mundial de Queijos), realizado em Tours, na França. Em setembro, foi prata no mundial de queijos aqui no Brasil. Ele é produzido com leite de vaca (Guzerá e Sindi) maturado e, por isso, tem menor teor de lactose. Já o Cariri de Alfazema Braba e o Arupiara são de cabras nativas

O Laticínio Grupiara é da família do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. O estabelecimento chegou a ter dificuldades para renovar o registro de seus produtos na Secretaria de Agricultura da Paraíba, impedindo assim a comercialização.

Repórter PB

Destaques