locação

Vereadores oposicionistas denunciam ex-Prefeito de Marizópolis por gastos com locação e combustíveis no período de isolamento na Educação

Reza na Denúncia apresentada pelos Vereadores oposicionistas contra o ex-prefeito Zé de Pedrinho, o que se observou neste período de isolamento social no Município de Marizópolis, “foi o inverso da civilização mundial"

Os quatro Vereadores que formam a base de oposição no Município de Marizópolis, protocolaram junto ao Ministério Público nesta terça-feira (02), denúncia contra o ex-prefeito Zé de Pedrinho, a Empresa F. Ferreira da Silva –ME – (Locadora de Automóvel com Sede em Iguatu/CE), e, o Posto de Combustíveis Mendes (Sede em Marizópolis).


Consta na inicial assinada pelos Vereadores: Francisca Lourenço Rodrigues, Diego Jeronimo da Silva, Miguel Neto Lins de Sousa, e Fábio Júnior Alves de Andrade uma despesa com Locação, e com Combustíveis em 2020 na ordem de R$ 209,4 mil em um período de pandemia, aonde os carros, e escolas estavam sem funcionar, ocasionado pelo isolamento social.






Reza na Denúncia apresentada pelos Vereadores oposicionistas contra o ex-prefeito Zé de Pedrinho, o que se observou neste período de isolamento social no Município de Marizópolis, “foi o inverso da civilização mundial, tendo em vista que entre os meses de maio e dezembro do ano em cheque (período de paralisação pelo isolamento social), a prefeitura municipal de Marizópolis, através da Secretaria Municipal de Educação não perdeu tempo em gastar o dinheiro público, ou seja, só em colocação de veículo foram R$ 135 mil, só que não tinha aula em nenhuma escola municipal, e com combustível, R$ 74,4 mil, perfazendo um total de R$ 209,4 mil sem qualquer atividade didática”.





Diante desta “estapafúrdia ação criminosa”, os Vereadores oposicionistas pedem ao Ministério Público para investigar, o que os Edis Mirins denominaram de “gastança sem o menor pudor” com o dinheiro da população de Marizópolis, cujos documentos já estão em poder das autoridades competentes.
Diante dos fatos elencados pelos Vereadores oposicionistas, até fechamento desta matéria, a editoria não tinha conseguido ouvir as partes citadas. Ficando o espaço aberto para o contraditório.

Repórter PB

Destaques