Saúde

Hospital de Patos zera cirurgias ortopédicas e disponibiliza mais leitos para enfrentamento do Covid-19

A finalidade, além de atender com agilidade as necessidades dos pacientes da unidade, foi a de ter mais disponibilidades de leitos para pessoas que precisarão de atendimento intensivo em função da pandemia do Covid-19.

Nesta sexta-feira (27) nenhum paciente do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro, de Patos, esperava para a realização de cirurgias ortopédicas. Isto porque, num esforço que envolveu uma equipe multiprofissional, foi zerada a demanda de procedimentos cirúrgicos nesta especialidade. A finalidade, além de atender com agilidade as necessidades dos pacientes da unidade, foi a de ter mais disponibilidades de leitos para pessoas que precisarão de atendimento intensivo em função da pandemia do Covid-19.

“É com grande satisfação e felicidade que venho comunicar que zeramos as cirurgias na unidade e estamos sem nenhum paciente para operar. Gostaria de parabenizar a equipe da ortopedia pelo grande empenho e dedicação, a toda a diretoria que nos forneceu condições para que isso acontecesse, as equipes de anestesiologistas, enfermagem, técnicos, serviços gerais, maqueiros e todos os agentes envolvidos que nos possibilitou chegar a esse resultado reiterando que essa é a hora de todo mundo se ajudar para termos mais disponibilidades de leitos neste momento em que vivemos”, disse o médico e coordenador da Ortopedia do Complexo, Dr. João Suassuna, que há sete anos coordena o setor na unidade.

Dr. João explica que, além do esforço dos profissionais do Complexo, no sentido de fazerem um trabalho conjunto para zerar o número de cirurgias ortopédicas e ter menos pacientes internados na unidade, a fim de disponibilizar a maior quantidade de leitos possíveis para os pacientes que precisarão de suporte hospitalar durante a pandemia do Covid-19, a redução significativa do número de acidentes de trânsito, nos últimos dias, devido as medidas de isolamento social, foram determinantes para essa atual situação.

“Já observamos uma sensível queda no número de acidentes de trânsito por causa da diminuição do fluxo de pessoas nas ruas e, consequentemente, da necessidade de intervenções cirúrgicas na ortopedia, já que muitos casos terminam impactando nosso setor, haja vista que a ortopedia é uma das especialidades que recebem a maior demanda oriunda de acidentes”, explica o médico.

Para Dr. João é preciso também que as pessoas reflitam nesse período de isolamento sobre a necessidade de redução dos acidentes de trânsito. “É urgente que medidas públicas, tais como punições severas e ações de educação continuada, sejam realizadas com mais frequência, a fim de minimizar a calamidade que se encontra a guerra no trânsito de todo o território nacional”, destaca o médico.

Dados de redução de atendimentos - Os dados do relatório de atendimentos na Urgência e Emergência do Complexo das vítimas de acidentes de trânsito já mostram uma sensível redução. Se compararmos, por exemplo, os números dos dois últimos finais de semana (13 a 15/03) com (20 a 22/03) já percebemos essa redução. Enquanto no primeiro final de semana foram registrados 40 acidentes, dos quais 37 envolveram motociclistas (grupo que mais tem demanda para o setor de ortopedia), e mais três casos de acidentes com bicicleta, no final de semana seguinte esse número caiu para 23 casos, sendo 20 envolvendo motos, e mais três vítimas de acidentes de carro, bicicleta e atropelamento, com um caso para cada modal.

Se o comparativo dos atendimentos por acidentes for com dados semanais, também há evidências na redução dos casos atendidos. Na primeira semana de março foram 71 casos; na segunda semana, 67; na terceira o número voltou a subir, com o registro de 72 atendimentos; mas nesta quarta semana, com resultados ainda parciais, faltando apenas dois dias do fechamento do período, o número de casos estava em 17. Se comparar os dados semanais de acidentes de trânsito, levando em conta apenas os períodos de quarta a domingo, nas duas últimas semanas, essa redução é ainda maior, atingindo uma queda de 64% no número de atendimentos, já que na terceira semana do mês (de domingo a quarta) foram registrados 47 casos e na quarta semana, apenas 17.

No cômputo geral, do dia 1º a 22 de março, o Complexo registrou 219 atendimentos de vítimas de acidentes de trânsito, sendo a maior parte deles envolvendo motociclistas, com um total de 189 pessoas. Os acidentes com bicicletas somaram 16 casos. Já as vítimas com acidentes envolvendo automóvel foram sete. Outras seis deram entrada no hospital vítimas de atropelamento.

Repórter PB

Destaques