Menor Infrator

Polícia apreende adolescente suspeito de praticar homicídio; veja os detalhes

O trabalho contou a parceria e o apoio da Polícia Militar de Prata e Ouro Velho.

A Polícia Civil da Paraíba, através da 14ª Delegacia Seccional em Monteiro, elucidou, em menos de 24 horas após o fato, um crime ocorrido na região do Cariri paraibano. O trabalho contou a parceria e o apoio da Polícia Militar de Prata e Ouro Velho.

Um adolescente de 15 anos foi apreendido suspeito de praticar o homicídio contra um homem de 23 anos e deixado a vítima em frente ao hospital de Monteiro. Este é o segundo crime de homicídio elucidado pela Policia Civil de Monteiro em menos de 24 horas.

Segundo o delegado Paulo Ênio, da cidade de Monteiro, o crime envolveu circunstâncias que poderiam ter dificultado as investigações, mas um detalhe observado pelos agentes chamou a atenção.

“Tudo teve inicio quando um homem, naquele momento sem identificação, teria sido deixado no hospital de Monteiro por duas pessoas, sob o pretexto que o não identificado teria sido vítima de acidente automotivo. Durante a analise médica foi observado que o homem tinha uma perfuração no tórax em razão de disparo de arma de fogo”, observou o delegado, indicando que este foi o ponto de partida da investigação.

Os agentes questionaram quem deixaria um desafeto no hospital após efetuar um disparo contra ele. “Outro ponto de questionamento foi quem teriam sido as pessoas que conduziram a vitima até a unidade médica e quem seria a vítima?”, indagou o delegado.

Depois de alguns procedimentos, a vítima foi identificada como Matheus Vitor de Sousa Araújo, de 23 anos. “Após análise das câmeras de segurança do hospital, chegou-se ao veiculo e posteriormente ao seu proprietário. Somado a isso, a Policia Militar conduziu para a delegacia um adolescente em atitude suspeita na cidade de Prata, onde tentava contratar serviço de táxi”, detalhou o delegado Paulo Ênio.

Na delegacia, o suspeito de 15 anos, não soube explicar aos investigadores a razão da sua estada na cidade de Prata, mas foram encontrados com ele os documentos da vitima.

Diante das circunstâncias, não restou ao jovem infrator senão relatar o corrido, afirmando para tanto que estava com a vítima no momento do fato, mas não soube explicar como ocorreu o disparo.

“Como há fortes indícios de autoria e prova da materialidade do crime, ele foi autuado pelo ato infracional semelhante ao crime de homicídio qualificado, ressaltando que provas técnicas serão acostadas na investigação”, concluiu o delegado Paulo Ênio.

Repórter PB

Destaques