engenheira

“Calvário” derruba Aracilba Rocha da diretoria financeira da Eletrobras

A Engenheira paraíba, reafirma ainda “que jamais participou de reunião de trabalho, ou reunião social, envolvendo o Governador Ricardo Coutinho"

Com o nome no maior esquema de corrupção da história da Paraíba, Aracilba Rocha que ocupada o cargo de diretora administrativa financeira da Eletrobras no Rio de Janeiro, deixou o cargo.

Em documentos encaminhados a Imprensa pelos Advogados da Engenheira, Johnson Abrantes, e Bruno Lopes relatam em defesa que “se faz necessário lembrar e em verdade afirmar que, em meados de outubro de 2010, teve que viajar ao Rio de Janeiro para realizar uma consulta médica especializada, pois havia recebido um diagnóstico de que estaria com câncer de mama e pediu "socorro" ao seu amigo Ney Suassuna para conseguir um especialista para fazer uma avaliação do seu estado de saúde. Foi justamente nesta época que conheceu o Sr. Daniel Gomes, e que segundo tomou conhecimento posteriormente, havia alugado alguns apartamentos de propriedade do ex-senador, que seriam ocupados por funcionários de sua empresa. Nenhuma relação pessoal com ele”.

Aracilba Rocha lembra ainda no Documento que “durante sua passagem pelo Governo do Estado, nos primeiros anos da Administração do senhor Ricardo Coutinho, jamais manteve relações pessoais ou de trabalho com o senhor Daniel Gomes, apesar de o ter encontrado, eventualmente, uma vez, nas imediações do Aeroporto Castro Pinto”.

A Engenheira paraíba, reafirma ainda “que jamais participou de reunião de trabalho, ou reunião social, envolvendo o Governador Ricardo Coutinho, Fabrício Suassuna, o Sr. Daniel Gomes e a senhora Livãnia Farias, muito menos fez qualquer intermediação de negócios oficiais ou extraoficiais com as pessoas citadas, como deixa transparecer em alguns trechos da investigação”.

Por fim, Aracilba Rocha completa que “compete, sim, ao MPE, apresentar as provas, de forma inequívoca, para que ocorra um julgamento justo”. Ela foi denunciada ontem junto com mais 34 pessoas por suposto envolvimento na Operação Calvário.

 

Repórter PB

Destaques