João Pessoa

Projeto Pé no Espaço contempla socioeducandos do Centro Educacional do Jovem

Para Wendow Lacerda, diretor do CEJ, o Projeto proporciona conhecimentos, alegria e entusiasmo, principalmente, para aqueles que nunca tiveram acesso aos equipamentos culturais

O Projeto Pé no Espaço, fruto da parceria entre a Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida (Fundac) e a Fundação Espaço Cultural José Lins do Rêgo, chegou para mais 10 socioeducandos do estado. Desta vez, a ação coordenada pelo eixo Esporte, Cultura e Lazer da Fundac contemplou os jovens que cumprem medidas judiciais no Centro Educacional do Jovem (CEJ), em João Pessoa.


Segundo Nilton Santos, coordenador do eixo Esporte, Cultura e Lazer da Fundac, o Projeto Pé no Espaço, além de ser uma ação cultural que garante acesso dos socioeducandos à cidadania por meio da cultura, se coloca como um ensaio de socialização aos adolescentes e jovens privados de liberdade, que experimentam um passeio pelas instalações da Fundação Espaço Cultural.

Para Wendow Lacerda, diretor do CEJ, o Projeto proporciona conhecimentos, alegria e entusiasmo, principalmente, para aqueles que nunca tiveram acesso aos equipamentos culturais. “O que antes era tão somente uma viagem desconhecida ou uma imaginação de contos de fadas de como seria esse universo, agora se tornou uma realidade para os jovens do CEJ”, comentou.

“Hoje demos o pontapé inicial de uma viagem à cultura, onde os jovens se surpreenderam com tamanha oportunidade de conhecer um pouco do que é a Funesc. Lá, eles adentraram a uma biblioteca que existe desde a fundação do Espaço Cultural, contemplaram fotos da antiga João Pessoa e passaram por todo cenário de uma história que faz flutuar a imaginação até chegar à tão sonhada exibição do curta-metragem paraibano, Menino Azul, no Cine Banguê”, relatou o diretor do CEJ.

“Acreditamos que esta ação pode surtir um efeito muito positivo no cumprimento da medida, pois, muitos desses visitantes nunca haviam conhecido um cinema, um teatro, um planetário. Assim, este é um primeiro passo para a liberdade”, comentou Nilton Santos.

 

Repórter PB

Destaques