Ex-prefeito de Poço Dantas teria desviado mais de R$ 3 milhões do INSS; MPPB abre Investigação!

O Inquérito Civil de nº 046.2021.003156 foi instaurado no dia 12 de Novembro de 2021 pelo Promotor de Justiça da Comarca de Sousa

O ex-prefeito do Município de Poço Dantas, José Gurgel Sobrinho, conhecido por “Dedé de Zé Cândido” será investigado pelo Ministério Público por “enriquecimento ilícito” em tese durante seu governo nos anos de: 2018, 2019 e 2020.


O Inquérito Civil de nº 046.2021.003156 foi instaurado no dia 12 de Novembro de 2021 pelo Promotor de Justiça da Comarca de Sousa, Dr. Eduardo Luiz Cavalcante Campos para esclarecer denúncia apresentada junto ao MPPB, dando conta que nos anos de 2018 à 2020, o então Gestor de Poço Dantas, deixou de repassar das contribuições patronais ao Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) a importância de R$ 1.087.000,00 (Um milhão e oitenta e sete mil reais), e no ano de 2019 esse valor chegou também a R$ 1.055.000,00 (um milhão e cinquenta e cinco mil reais). No ano de 2020, ainda não estar contabilizado corretamente os repassados ao INSS.


De posse destas informações, o Promotor Dr. Eduardo Luiz Campos solicitou informações junto do atual prefeito, Itamar Moreira que encaminhou a Promotoria confirmação que de fato, os repasses nestes anos não foram feitos conforme demonstração do SAGRES do Tribunal de Contas do Estado.


Suspeita de apropriação indébita, haja vista os valores terem sido descontados dos Servidores Municipal de Poço Dantas, o ex-prefeito, “Dedé de Zé Candido” é acusado de “Enriquecimento Ilícito”.


Levando em consideração mais de um R$ 1 milhão não repassado nos últimos três anos de seu governo das contribuições patronais ao Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), nos anos de 2018, 2019 e 2020, o débito negativo para os cofres públicos de Poço Dantas é de mais de R$ 3 milhões, o que em tese pode ter sido desviados para outras finalidades secretas do ex-prefeito José Gurgel Sobrinho que deverá esclarecer junto a Justiça, e durante o processo ele não apresentar as devidas provas, pode terminar condenado, e no final, cadeia.


É triste para Poço Dantas ter eleito um Gestor que envergonhou sua gente com esses demonstrativos dos órgãos fiscalizadores divulgados publicamente.
O nome disto pode ser traduzido por ROUBO! Há tempo para Dedé provar sua inocência.


Tenho dito


Pereira Jr.

 

Destaques