Pesquisa

Estudo aponta que mulheres têm rotina mais estressante que homens durante pandemia e psicóloga traz dicas para reduzir estresse

O estudo apresentado pela Universidade de Valência revelou ainda que a soma de tarefas domésticas contribuiu para o aumento do estresse.

“Estava tão cansada e estressada que me escondi por trás dos lençóis que estavam no varal de chão e deixei eles [filho e marido] me chamando por uns momentos porque precisava de um tempo sozinha dentro de casa”, relata Carol Nascimento sobre o período de isolamento social, que fizera a empresária adotar o Home Office e conciliar as atividades domésticas, os cuidados com o filho pequeno e ainda auxiliá-lo durante as aulas remotas. A princípio o relato pode parecer até cômico, mas a experiência revela a realidade vivida por muitas outras mulheres que, ao longo dos últimos meses, tiveram suas rotinas alteradas em decorrência da pandemia da Covid-19.

Uma pesquisa realizada pelo Departamento de Sociologia e Antropologia Social da Universidade de Valência identificou que pais e mães que trabalham em casa e cuidam da educação dos filhos durante a pandemia estão mais estressados. Nesse contexto, as mulheres ainda saem à frente dos homens, pois aproximadamente 86% das entrevistadas – em um universo de 10 mil mulheres – afirmaram estarem mais tristes, apáticas e desmotivadas. No Dia de Combate ao Estresse (23 de setembro), a psicóloga do Hapvida em João Pessoa Michelle Costa aponta quais fatores podem ser apontados para levar a essa porcentagem tão alta.

“O trabalho em Home Office trouxe uma atividade laboral a mais para o ambiente doméstico. Não havendo uma dissociação entre atribuições domésticas e atividade laboral, o que passou a ser desenvolvido em casa, causou um acúmulo de trabalho, não havendo uma separação entre o local que, supostamente, seria para repouso e local para trabalhar”, esclarece.

O estudo apresentado pela Universidade de Valência revelou ainda que a soma de tarefas domésticas contribuiu para o aumento do estresse. Diante do relato de Carol e da pesquisa em questão, a especialista Michelle Costa lembra que para evitar o estresse em excesso é importante organizar a rotina diária colocando como algo necessário nesse planejamento um tempo para fazer algo por si e para si.

“Uma forma para evitar esse estresse é a prática de atividades físicas, meditação e procurar organizar a rotina diária para que se tenha um momento de repouso e lazer. Desestressar a mente fazendo algo prazeroso como ler um livro, assistir filmes, descansar. Para que a mente possa ter uma pausa para recarregar”, sugere.

A psicóloga ressalta ainda que momentos sozinha, sem os filhos, são de suma importância para colocar os pensamentos em ordem, dando um fôlego maior para poder encarar a rotina laboral diária.

Repórter PB

Destaques