Reunião

Segurança define estratégias para aperfeiçoar controle de munições

A reunião teve como objetivo concluir o estudo, que teve início no começo deste ano, para aperfeiçoamento dos sistemas já existentes de gerenciamento de munições nas instituições de segurança.

A Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social (Sesds) finalizou, na manhã desta quinta-feira (22), a última fase das definições de estratégias para fortalecimento do sistema de controle e rastreamento de munições adquiridas pelos órgãos de segurança da Paraíba. A reunião, que teve à frente o secretário executivo, Lamark Victor Donato, contou com a presença de representantes da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar, além de gestores da Sesds.

A reunião teve como objetivo concluir o estudo, que teve início no começo deste ano, para aperfeiçoamento dos sistemas já existentes de gerenciamento de munições nas instituições de segurança, atendendo a uma solicitação do Ministério Público Federal (MPF).

Desde o ano passado, os lotes fornecidos pelas indústrias estão limitados a 10 mil munições, que são identificadas através de uma marcação no cartucho. A partir da conclusão dessas discussões técnicas e das definições dos pontos a serem aprimorados no sistema de controle de munições, as ferramentas aperfeiçoadas serão implementadas. Diante disso, será ampliado o monitoramento das munições adquiridas e empregadas pelos agentes de segurança pública do estado. Com o aperfeiçoamento, será possível tornar mais precisa a identificação das munições a partir de seus lotes de aquisição.

“O objetivo é facilitar futuras investigações sobre a origem das munições encontradas em locais de crimes. Dentro desse escopo, fizemos várias reuniões e hoje chegamos ao final, definindo padrões de anotações das fichas de sistema das munições que são utilizadas e que são distribuídas nos diversos organismos policiais, sendo o controle efetivo realizado por cada instituição separadamente e o acompanhamento feito pela gerência de armas da secretaria”, explicou Lamark Donato. Segundo ele, cada um dos órgãos operativos da segurança terá seu sistema autônomo, mas eles funcionarão de forma padronizada. Através da Gerência Executiva de Armas e Munições, a Sesds terá acesso a todas as informações dos lotes das munições e poderá utilizá-las em eventuais investigações.

Repórter PB

Destaques