O Retorno de Leonardo ao Congresso Federal, e a sobrevivência das legendas

Com isso, Sousa volta a ter a cadeira de federal em Brasília, e cria novas expectativas para o Grupo Gadelha no território paraibano

O Sousense, Leonardo Gadelha (PSC), suplente de Deputado Federal, assumiu a titularidade do cargo nesta terça-feira (23), após pedido de licença por 121 dias do Deputado Rui Carneiro (PSDB) para tratar de assuntos particulares.



Com isso, Sousa volta a ter a cadeira de federal em Brasília, e cria novas expectativas para o Grupo Gadelha no território paraibano.


É claro que tudo isso não parecer ser apenas um favor, uma caridade de Rui Carneiro. Entendem os observadores políticos que esse agrado tem lá suas obrigações futuras, ou podemos dizer: compromissos.

 

Fontes ligadas ao Grupo Gadelha confirmaram à esse Colunista que, Leonardo deverá passar mais de um ano no mandato. Na coligação PSDB/PSC, existem mais dois Deputados Federais: Pedro Cunha Lima, e Edna Henrique que também deverão pedir licença nos próximos dias, confirmando, assim a permancia de Leonardo na Câmara Federal por mais um longo período.


Em 2022, o Grupo Gadelha disputaria a vaga de Deputado Federal com Dalton Gadelha, alto Empresário paraibano, e a Estadual com André Gadelha, ex-prefeito de Sousa. Leonardo que disputou a prefeitura de Sousa em 2020 sem sucesso, ficaria em stand-by na próxima eleição, em especie de reserva para os embates futuros.


Pense comigo: continuando a eleição sem coligação na majoritária, muitos partidos na Paraíba que têm hoje deputados federais, ou estaduais como presidentes estariam com sérios problemas para agregar nomes importantes para a disputa eleitoral objetivando o coeficiente em 2022.


Então veio à luz o entendimento após o retorno de Leonardo Gadelha ao Congresso Federal, com pespectiva de continuar por ano no mandato, o seguinte acordo: união destas lideranças no mesmo partido em 2022. Resta apenas saber qual o partido sobreviverá: PSDB, ou PSC?


Tem sentido?


Por Pereira Jr.

 

Destaques