Saúde Sertaneja

Equipe do HCor elogia práticas de melhorias na Maternidade de Patos

Segundo o médico, durante a visita da equipe do HCor, coordenadora do projeto, no último sábado (20), essas e outras melhorias que estão em andamento na unidade receberam elogios.

Agilidade na coleta e na entrega dos exames laboratoriais que antes tinham uma média de 40 minutos para serem concluídos e, atualmente, com redução para cerca de 15 minutos e ainda a melhoria no processo de classificação de risco e acolhimento da paciente, que também teve o tempo de espera reduzido, além de outras ações em desenvolvimento. Esses dois exemplos de melhoria na prestação de serviços da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos, já são resultados concretos que advém de uma formação continuada de gestores de unidades que integram a Rede Hospitalar da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e já está repercutindo de forma positiva no cotidiano daquela unidade de saúde, que é referência no Sertão em atendimentos à mulher, inclusive, em gestações de alto risco.

Esses dois exemplos de melhoria, explica o diretor geral da Maternidade, Dr. Umberto Marinho Júnior, foram implementados no nosso dia a dia graças ao aprendizado nas oficinas do Projeto de Desenvolvimento Gerencial integrado da linha de atenção às urgências no ambiente intra-hospitalar (Proadi/MS). Segundo o médico, durante a visita da equipe do HCor, coordenadora do projeto, no último sábado (20), essas e outras melhorias que estão em andamento na unidade receberam elogios.

O Projeto de Desenvolvimento Gerencial integrado da linha de atenção às urgências no ambiente intra-hospitalar (Proadi/MS), coordenado pelo especialista em gestão hospitalar e de Sistemas de Saúde pela Fundação Getúlio Vargas e médico sanitarista, Daniel Beltrammi, busca implementar melhorias nas unidades de saúde da Paraíba. “Nós estamos cuidando das pessoas ou apenas tratando doenças? Trago questionamentos como este para provocar diálogos e, a partir deles, incentivar melhorias que não necessitam de atitudes mirabolantes. Só precisam acontecer utilizando o que já tem nos hospitais, por meio de atitudes e, principalmente, de muito cuidado com o outro, tanto com o paciente e também com o colega de trabalho”, declarou o coordenador do projeto.

A gerente de Enfermagem da Maternidade, Milene Barbosa, destaca que o projeto está contribuindo para que a unidade melhore ainda mais seus processos. “A ideia de promover melhorias, com ações que utilizem o nosso potencial de infraestrutura e pessoal, sem a necessidade de grandes intervenções, fortalecendo nossa prestação de serviço e tornando-a mais eficiente e humanizada, foi bem acolhida por nossa equipe que tem feito mudanças significativas nos processos que culminam com melhorias no atendimento as nossas pacientes”, reitera Milene. Além dela, integram a equipe de gestores que está participando das oficinas do projeto do HCor Ana Maria de Lima, coordenadora de higienização, Aline Brito, RT da UTI Materna, Anderson Sostenes, RT da UTI Neonatal, Luciana Maia, diretora assistencial, Marcone de Souza, controlador de Contas a Pagar, e Mabel Gomes, enfermeira da CCIH.

No total, 11 unidades da Rede Hospitalar da Paraíba participam do Projeto, que qualificará 135 profissionais. Além da Maternidade de Patos, integram o projeto o Hospital Edson Ramalho, o Arlinda Marques, o Complexo de Patos, Hospitais Regionais de Cajazeiras, Sousa e Piancó, Traumas de João Pessoa e de Campina Grande, Hospital Metropolitano e Maternidade Frei Damião. A Paraíba é o 10º estado a participar do Projeto.

O Projeto de Desenvolvimento Gerencial conta com um total de 210h de qualificação. Os núcleos temáticos do projeto serão divididos em três eixos: gestão hospitalar; gestão clínica e atenção a urgências no ambiente intra-hospitalar e rede de atenção às urgências no âmbito do SUS.
A estrutura pedagógica envolverá a realização de seis encontros presenciais por mês, nas sextas-feiras (tarde e noite) e sábados (manhã e tarde), sendo disponibilizados na sequência mais dois encontros nas unidades participantes, mediante distribuição da estrutura do HCor em cada serviço, e posteriormente mais três meses para monitoramento de todo o processo, que será finalizado com um evento para apresentação dos resultados por parte do HCor para gestão estadual e a rede hospitalar.

Repórter PB

Destaques