Números

Hospital de Clínicas encerra o mês de novembro com mais de 840 cirurgias realizadas

A cirurgia foi feita no último dia 28 de novembro.

O agricultor Elton Farias dos Santos, de 30 anos, morador da cidade de São Sebastião de Lagoa de Roça, estava há dois anos querendo fazer cirurgia de vasectomia. Foi no Hospital de Clínicas, por meio do programa Opera Paraíba, que ele conseguiu realizar o procedimento. A cirurgia foi feita no último dia 28 de novembro. 


“Fazia dois anos que eu estava esperando essa cirurgia, aí veio a pandemia e atrasou muito. Mas graças a Deus chegou a hora, foi ótimo, se fosse possível, eu fazia de novo,” contou. 

Assim como Elton, a paciente Maria Jailma, de 36 anos, da cidade de Cuité, também saiu da fila de espera por uma cirurgia. Ela tinha otite crônica desde a infância, e para resolver o problema, a solução era a intervenção cirúrgica, como relata: “Incomodava muito, saía secreção, era muito desconfortável, e só resolvia com a cirurgia. Então eu procurei o médico e fui encaminhada pela Secretaria de Saúde do meu município pra cá. Deu tudo certo, graças a Deus.” 

No período de 1º a 30 de novembro, o Hospital de Clínicas registrou a realização de 841 cirurgias. Foram 492 cirurgias gerais, 77 ginecológicas, 28 da otorrinolaringologia, 155 urológicas e 34 pequenas cirurgias. Os procedimentos de pequeno porte passaram a ser oferecidos no final do mês e a previsão é que sejam feitos, em média, 20 por dia.  

“Em novembro, além das cirurgias que já vínhamos realizando, também contemplamos a saúde do homem com a realização de cirurgias de vasectomia, que é a cirurgia contraceptiva do homem, e cirurgias de postectomia. E ainda começamos a oferecer pequenas cirurgias, que tem nos permitido avançar e melhorar cada vez mais a qualidade de vida das pessoas,” esclareceu o diretor técnico do hospital, Thyago Morais. 

Para o mês de dezembro, a expectativa é que sejam realizadas em torno de 1.400 cirurgias, incluindo mais um mutirão de cirurgias oftalmológicas. No HC, os atendimentos são ofertados tanto aos pacientes que moram em Campina Grande, como aos pacientes de outros municípios, que são encaminhados ao Opera Paraíba por meio da Central Estadual de Regulação. 

“Com as pequenas cirurgias oferecidas aqui, como retirada de sinais, remoção de lipomas, entre outros pequenos procedimentos, conseguimos ampliar as especialidades ofertadas dentro do programa. E por serem procedimentos simples, sem a necessidade de internação, temos a condição de atender um número maior de paraibanos,” comentou o diretor geral da unidade, Jhony Bezerra.

Repórter PB

Destaques