Vacina

Campanha de Multivacinação e de Vacinação contra a Poliomielite termina nesta sexta-feira

O município com maior cobertura, atualmente, é o de Santa Rita, com 11.537 doses aplicadas, o que corresponde a 137,69%

A Campanha de Multivacinação e de Vacinação contra a Poliomielite termina nesta sexta-feira (20). O objetivo da ação é reduzir o risco de reintrodução do poliovírus selvagem no país, diminuir a incidência das doenças imunopreveníveis (que podem ser evitadas de forma eficaz através de vacinas) e contribuir para o controle, eliminação e/ou erradicação dessas doenças. Até esta quinta-feira (19), 77 municípios da Paraíba não atingiram cobertura vacinal preconizada.

De acordo com a chefe do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde, Isiane Queiroga, a cobertura atual da Paraíba para a campanha contra a poliomielite é de 85,32%, o que corresponde a 199.903 crianças vacinadas. A meta é vacinar, no mínimo, 95% da população-alvo. Ela explica que a baixa cobertura pode estar relacionada à falta de atualização no sistema pelos municípios.

“Solicitamos a intensificação do registro das doses aplicadas nesses dois últimos dias de campanha no site oficial de notificação. Com isso, atingiremos o nosso objetivo final, ou seja, adequadas coberturas vacinais nos 223 municípios do Estado”, apelou.

O município com maior cobertura, atualmente, é o de Santa Rita, com 11.537 doses aplicadas, o que corresponde a 137,69%. Apenas três municípios se encontram com a cobertura menor que 50%: Pirpirituba, Bonito de Santa Fé e Bayeux.

A campanha contra a poliomielite acontece de forma indiscriminada para crianças menores de 5 anos de idade, com estratégias diferenciadas para as crianças menores de um ano e para aquelas na faixa etária de 1 a 4 anos de idade. Já a de Multivacinação é voltada para crianças e adolescentes menores de 15 anos. Para esta última, são ofertadas todas as vacinas do calendário básico de vacinação da criança e do adolescente, visando diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis e reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal.

Repórter PB

Destaques