Parceria

Governo e MP assinam termo para combater hanseníase e tuberculose na Paraíba

Entre as ações previstas está a adesão das concessionárias de energia e água em campanhas de conscientização sobre as doenças.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), assinou em conjunto com representantes do Ministério Público Federal e Estadual, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems-PB) e Superintendência Estadual do Ministério da Saúde na Paraíba (Sems/PB) um termo técnico com medidas para intensificar a prevenção da hanseníase e da tuberculose. A assinatura ocorreu na manhã desta segunda-feira (20), durante a abertura da Semana Estadual de Conscientização e Combate à Hanseníase, no auditório do Cefor/RH. Entre as ações previstas está a adesão das concessionárias de energia e água em campanhas de conscientização sobre as doenças.

A hanseníase é uma doença infecciosa, crônica, caracterizada por manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas pelo corpo, que não coçam e apresentam alteração de sensibilidade (térmica,dolorosa ou tátil) e/ou força muscular. Apesar de ter tratamento e cura, o Brasil é o segundo país do mundo com a maior incidência da hanseníase, perdendo apenas para a Índia. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado no evento, houve um aumento do número de casos notificados no último ano, subindo de 13,1 casos/100 mil habitantes em 2018 para 15,2 casos/100 mil habitantes, em 2019.

Para o secretário de Saúde do estado, Geraldo Medeiros, a assinatura da nota técnica com o comprometimento de diversas esferas do poder público é essencial para mudar o cenário de circulação da doença na Paraíba. “As pessoas acham que a hanseníase é uma doença do passado, mas quando lemos o boletim epidemiológico vemos que precisamos trabalhar para diminuir o percentual de diagnóstico tardio, que leva uma série de pacientes a terem sequelas e se tornarem incapazes para o trabalho, além do percentual de cura que também é baixo no estado”, pontuou o secretário.

Entre os pontos que estão previstos na nota técnica está a realização da busca ativa nos casos considerados abandono de tratamento, tanto da hanseníase quanto da tuberculose, ação atribuída à atenção básica nos municípios. “O estado atua capacitando as esquipes municipais com estratégias para o diagnóstico precoce e como distribuidor dos medicamentos fornecidos pelo Ministério da Saúde. O trabalho da atenção primária dentro das comunidades é o que vai alavancar a prevenção das doenças infecto contagiosas”, finalizou Geraldo Medeiros.

O promotor do Ministério Público Federal na Paraíba, José Guilherme Ferraz, reforçou a importância das equipes de saúde da família e o comprometimento em manter-se próximo aos municípios para combater as doenças infectocontagiosas. “Nós assinamos o termo hoje sabendo das dificuldades do dia a dia, mas pensando em estratégias para o combate. Precisamos tornar efetiva a estrutura que já existe através das equipes de saúde da família, da saúde prisional onde há um grande número de pessoas com tuberculose, fazendo que se tornem mais eficazes”, declarou o promotor.

Além da notificação obrigatória e o acompanhamento de pacientes em tratamento, foi anunciada ainda uma ação conjunta com as concessionárias de água e luz da região metropolitana. “As contas de água e luz trarão informações sobre a hanseníase para que a população esteja alerta sobre a doença. A partir de março as informações serão voltadas para a tuberculose. Esta é mais uma maneira de deixar a população ciente do combate a essas doenças”, explicou José Guilherme Ferraz.

Dia “D” de Luta Contra A Hanseníase - Ao longo da semana, serão realizadas ações sobre a conscientização da hanseníase, cumprindo o calendário do Janeiro Roxo – mês alusivo à doença. No sábado (25), será realizado o dia de combate, no Parque Solon de Lucena, das 8h às 13h30. Serão realizadas avaliação de manchas para diagnóstico em hanseníase, oferta de teste rápido de triagem e diagnóstico para HIV, sífilis e hepatites virais e educação em saúde, orientação à população sobre diagnóstico e tratamento da hanseníase.

Repórter PB

Destaques