Campanha

Dezembro Vermelho: Seminário discute enfrentamento de HIV/Aids e outras ISTs

Estiveram presentes representantes de 29 municípios.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou, nesta terça-feira (10), o II Seminário de Cuidados disponibilizados na Paraíba: avanços e desafios junto aos públicos vulneráveis para HIV/Aids, no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – Cerest. A programação fez parte das ações alusivas ao Dezembro Vermelho, que visam fortalecer a política de enfrentamento do HIV/AIDS e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Estiveram presentes representantes de 29 municípios, da Secretaria de Desenvolvimento Humano, Conselheiros Tutelares e ONGs que lidam com a população vulnerável.

A SES busca qualificar os profissionais para o cuidado e prevenção através de um projeto terapêutico singular para a população em vulnerabilidade. De acordo com a gerente operacional do Núcleo IST e AIDS, Ivoneide Lucena, um dos intuitos das ações é atingir a população que trabalha na madrugada como as profissionais do sexo, por meio de um atendimento diferenciado.

“O serviço precisa se moldar para o perfil de quem ele quer atender, é importante que o município vá até o local onde elas trabalham, construam uma relação de confiança para que ela tenha adesão ao serviço e que em caso de um diagnóstico de sífilis, Hepatite ou HIV, ela seja encaminhada para o serviço que permaneça no tratamento para cura ou controle da doença diagnosticada”, reforçou a gerente de operações.

Dentro da programação do evento foram apresentadas as ações executadas pela SES em relação à Política de Enfrentamento do HIV como busca ativa da parcela vulnerável e a oferta do teste rápido em 98% dos municípios da Paraíba. De acordo com a secretária executiva estadual de saúde, Renata Nóbrega, a SES busca cada vez mais fortalecer a relação com os municípios, as organizações sociais e outros segmentos para um trabalho intersetorial eficaz.

“Buscamos manter um atendimento integralizado para os usuários que tenham o diagnóstico de ISTs. Para 2020 nosso objetivo é fortalecer mais a política de enfrentamento com integração com outros setores da sociedade civil para que a gente possa avançar ainda mais nestes cuidados”, explicou a secretária executiva.

A SES possui convênios com ONGs que acolhem a população classificada como vulnerável pelo Ministério da Saúde, como profissionais do sexo, privados de liberdade, pessoas em situação de rua e a comunidade LGBTQ+. A Secretaria de Estado da Saúde entende que estas organizações formam um elo importante para o acompanhamento da política de enfrentamento.

Para a coordenadora executiva do Fórum de ONG/Aids da Paraíba, Rosi Farias, o Seminário é importante para orientar e consolidar as ações de controle e prevenção da AIDS. “Este é um momento em que nós podemos ter acesso aos dados sobre a população sobre pessoas que foram infectadas recentemente e fundamentar novos projetos voltados para pessoas com HIV/Aids”, explicou. O acesso aos medicamentos, a testagem rápida, a busca ativa de vulneráveis e a dispensa de medicamentos para em unidades de referência no Estado fazem parte das estratégias adotadas e abordadas na segunda edição do seminário.

Repórter PB

Destaques