Adolescentes

Cendac reúne comissões de enfrentamento da violência das escolas estaduais

“São projetos como esse que fazem a gente acordar todos os dias e dizer que vale a pena ser professora”, pontuou a professora da Escola Municipal Noêmia Alves da cidade de Conde, Rita da Cássia.

O Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente (Cendac) realizou, nesta quinta-feira (18), no auditório da instituição, mais uma atividade do projeto “Ampliando o diálogo sobre violência de gênero nas escolas estaduais da Paraíba”. Foi o momento de reunir as comissões de enfrentamento da violência contra a mulher e os professores de diversas escolas do estado para troca de experiências sobre as pesquisas relacionadas às mulheres inspiradoras e a atuação de cada uma para a conscientização sobre a violência de gênero.

“O projeto está sensibilizando gestores, professores e todos aqueles que fazem parte das escolas da Paraíba. Hoje estamos realizando mais uma etapa, que é a integração entre vocês, a troca de informações entre as comissões, fortalecendo o protagonismo juvenil”, explicou a presidente do Cendac, Valquíria Alencar.

O evento contou com a palestra da professora do Departamento de Educação e integrante do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Universidade Federal da Paraíba, Nazaré Zenaide, que apresentou aos estudantes a história de mulheres que deixaram sua contribuição para a humanidade, como Olympe de Gouges, Nísia Floresta, Elizabeth Teixeira e Marielle Franco.

“Este é um projeto enriquecedor para nós que fazemos a educação. Estamos aprendendo com vocês, estudantes, uma juventude ativa que nos dá ânimo para seguir adiante, junto com o Cendac neste projeto coletivo que nos dá a dimensão do que é ser cidadão”, ressaltou Nazaré. Ela apresentou ainda os principais pontos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e mostrou a importância de cada um dos artigos para defesa da liberdade, dignidade e dos direitos sociais na sociedade. “Os direitos humanos dizem respeito a todos nós, e por isso é importante conhecer a declaração para que possamos defendê-la e saber de que forma ela está presente em nossas vidas”, considerou.

Alunos das escolas Enéas Carvalho, em Santa Rita, e João José da Costa, de João Pessoa, apresentaram uma parte das pesquisas que estão realizando para a II Mostra Mulheres Inspiradoras, que deve acontecer no final de outubro, coroando a finalização do projeto. As estudantes Ester Vitória, Elissandra Araújo e Tatiane Nascimento, da Enéas de Carvalho, homenagearam e escritora Rachel de Queiroz; e o estudante Romilson Pontes leu um poema para a vereadora Marielle Franco, assassinada há um ano na cidade do Rio de Janeiro, e que será homenageada pela Escola João José da Costa na Mostra.

“É uma honra para mim participar deste projeto. Me sinto muito feliz em saber deste projeto e quero agradecer ao Cendac por propiciar estes momentos. Violência contra a mulher é um tema delicado de se falar, mas de grande importância. Me sinto orgulhosa pelas mulheres que escolhemos para apresentar e pelo nome de nossa comissão, Ellas, que significa empoderamento, luta, liberdade, ativismo e sororidade. Estou ansiosa para os próximos encontros”, disse a estudante Ester Vitória, da Escola Cidadã Integral Enéas de Carvalho.

“São projetos como esse que fazem a gente acordar todos os dias e dizer que vale a pena ser professora”, pontuou a professora da Escola Municipal Noêmia Alves da cidade de Conde, Rita da Cássia.

Repórter PB

Destaques