Inovação

Grand Prix: SENAI PB estimula alunos com deficiência a criarem soluções inovadoras na área de panificação e confeitaria

A atividade foi iniciada nesta quarta-feira, 24/11, durante o curso de Educação Empreendedora, que está sendo ministrado pela instrutora Adriana Gomes, para os alunos que concluíram os cursos de confeiteiro e padeiro oferecidos pelo SENAI.

Um grupo de 21 alunos com deficiência, atendidos pela Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência – FUNAD está participando de um Grand Prix de Inovação realizado pelo SENAI da Paraíba, através do Centro de Inovação e Tecnologia Industrial – CITI/CAM.


A atividade foi iniciada nesta quarta-feira, 24/11, durante o curso de Educação Empreendedora, que está sendo ministrado pela instrutora Adriana Gomes, para os alunos que concluíram os cursos de confeiteiro e padeiro oferecidos pelo SENAI.

O objetivo é que os participantes identifiquem uma problemática encontrada na plataforma da SAGA SENAI de Inovação, e com base nisso apresentem soluções.  

“Durante as aulas eles precisavam escolher uma problemática e solucionar, usando uma matriz de Brainstorming. E eu tive a ideia de fazer um Grand Prix, apresentei a plataforma da Saga SENAI de Inovação, mostrei as modalidades, e os segmentos para eles escolherem um desafio. E a maioria decidiu pelo desenvolvimento de um produto inovador na área de confeitaria e panificação”, explicou a instrutora Adriana Gomes.

O Desafio reúne alunos de duas turmas, dos turnos manhã e tarde. Cada equipe precisa desenvolver produtos obedecendo a algumas regras, como por exemplo, eles não podiam ser transgênicos, nem apresentar restrições para pessoas alérgicas ou com restrições alimentares à lactose ou glúten. O regulamento estabelecia ainda que era preciso privilegiar produtos sazonais, com as frutas de época.

E a turma da manhã como solução propôs a criação de um granulado de jaca, para ser usado em bolo, como cobertura no açaí e em sorvetes, algo 100% natural, sem conservantes e açúcar. Já a turma da tarde escolheu fazer um hambúrguer de caju, a ideia é aproveitar toda a fruta, desde a castanha, o suco, a polpa, e principalmente o bagaço que será temperado e transformado num hambúrguer vegano.

Até chegar as soluções, as equipes participaram de várias etapas, desde a seleção da demanda, da problemática e o Brainstorming. Hoje, os alunos participaram de uma oficina de CANVAS, e amanhã será feita a análise swot, e o PIT, e as propostas apresentadas por eles serão apresentadas por uma banca que vai avaliar o potencial dos produtos.

“Fiquei surpresa com o envolvimento dos alunos, e principalmente com a facilidade que eles tiveram para desenvolver as soluções”, comentou a instrutora.

Já para os alunos, a participação no Grand Prix trouxe motivação e a descoberta de talentos que estavam adormecidos.

“Trabalho há muitos anos na panificação, mas esse desafio me trouxe um aprendizado enorme, e fez com que eu enxergasse uma capacidade que eu nunca havia identificado em mim, comentou José Gilvando.

“Participar desse GP nos ajuda a usar a criatividade, pensar em suprir a necessidades de uma empresa. Além de auxiliar na construção do empreendedor que existe dentro de cada um de nós. Nesse desafio temos a oportunidade de trabalharmos o nosso desenvolvimento profissional e aprimorar nossos conceitos como estudantes e futuros empreendedores”, ressaltou Leandro Ferreira da Silva.

O supervisor de Estratégias Educacionais do SENAI da Paraíba, Thiego Brandão comemorou os resultados do GP, e ressaltou a importância da iniciativa. “A inovação rompe barreiras e a Saga SENAI comprova que é possível percorrer os caminhos do empreendimento e da inovação através de desafios, e tudo isso estamos demonstrando durante o Grand Prix”, afirmou Thiego Brandão, supervisor de Estratégias Educacionais do SENAI PB.

Oferta de cursos na FUNAD

No último mês de setembro, o SENAI em parceria com o MPT ofertou de forma simultânea os cursos de Panificação e Confeitaria na FUNAD em João Pessoa. As aulas foram realizadas numa Unidade Móvel de Panificação do SENAI.

A proposta da oferta dos cursos foi incluir pessoas com deficiência no empreendedorismo/mercado de trabalho, propiciando o desenvolvimento dos conhecimentos teóricos e práticos necessários para a atuação profissional como padeiro e confeiteiro, de acordo com o perfil profissional requerido pelo mercado de trabalho, atendendo as normas e legislação de segurança e boas práticas de manipulação de alimentos.

PSAI

Através do Programa SENAI de Ações Inclusivas, o SENAI oferta cursos onde o aluno com deficiência encontra um ambiente inclusivo, com instalações acessíveis e materiais didáticos adequados. Os docentes são capacitados para diversos tipos de situação de aprendizagem.

O SENAI promove acessibilidade em todo o processo educacional: grade curricular, processos de avaliação e certificação a ser recebida. E diversos cursos da instituição já possuem diretrizes de adequações elaboradas e material didático adequado para pessoas com deficiências visual, auditiva, intelectual, física e outras.

Repórter PB

Destaques