Cursos Superiores

DIA DO ESTUDANTE: Educação que abre portas para o mundo do trabalho

Para homenagear essa etapa e essas pessoas, foi então criado o Dia do Estudante – comemorado em 11 de agosto.

Ser estudante é muito mais que a rotina de acordar, ir à escola e fazer as tarefas em sala de aula. Por meio da educação, os seres humanos aprendem a conviver entre si, a exercer a cidadania e a transformar a realidade em que vivem. Para homenagear essa etapa e essas pessoas, foi então criado o Dia do Estudante – comemorado em 11 de agosto.

Na mesma data, mas com 100 dias de antecedência, também foram criados os primeiros cursos superiores no Brasil - ciências jurídicas e ciências sociais.

Mas, afinal, o que é estudar? É observar, treinar, memorizar, usar a inteligência, pensar, conhecer, analisar e muito mais. Tudo isso é importante para a evolução da sociedade e, por isso, a profissão estudante merece ser celebrada.

Maisy Moro cursa o 1º ano do novo ensino médio no Serviço Social da Indústria (SESI) do Espírito Santo e sabe como a educação é essencial. “Uma vez que você adquiriu conhecimento, ninguém pode tirá-lo de você. Você vai conquistar coisas por meio disso e vai crescer como um cidadão melhor”, afirma a jovem de 15 anos.

A capixaba conheceu o SESI por meio dos amigos que já estudavam na instituição e, a partir de um processo seletivo, ingressou na escola. Ela conta que, antes da pandemia de Covid-19, as aulas eram bastante dinâmicas e avaliação do colégio era feita por menções ao invés de notas numéricas.

“Estão avaliando a gente pelos trabalhos, deveres e apresentações em equipe ao invés de notas em prova. Isso é muito interessante, pois existem muitas pessoas que não conseguem passar pro papel as coisas que aprendem. Além disso, os professores tentam balancear os grupos para que todos os alunos se ajudem e isso também é muito legal do novo ensino médio”, conta a estudante, que está satisfeita com as aulas durante a pandemia.

Maisy concorda que é difícil estudar com o distanciamento social, mas afirma que a metodologia da escola fez com que ela e os outros alunos continuassem trabalhando em grupo e se esforçando para cumprir o calendário de conteúdos.

Não existe limite de idade para estudar
Ciente de que nem todas as pessoas conseguem estudar na juventude, o SESI também oferece a Educação de Jovens e Adultos (EJA). O Programa é uma oportunidade para os trabalhadores que, por algum motivo, não completaram os estudos, possam voltar à escola, desde ensino fundamental ao médio.

Para o ex-estudante da EJA Profissionalizante Emanuel Feliciano, 29 anos, o programa foi um divisor de águas. “Desde o dia em que voltei a estudar pude ver que tenho bastante potencial e, por isso, comecei a levar os estudos a sério”, explica.

A EJA Profissionalizante funciona em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e é uma forma de os alunos concluírem o ensino médio e, ao mesmo tempo, conseguirem uma qualificação profissional. Emanuel conta que a experiência no programa foi importante para recuperar o tempo perdido, ter a oportunidade de entrar em uma universidade e melhorar o currículo profissional.

“As aulas eram bem dinâmicas, com interação com os professores e alunos. A gente fazia muitos trabalhos em equipe e todos os professores eram interessados, sempre ajudavam a tirar nossas dúvidas”, conta Feliciano.

Dentro do programa, a experiência é única. Afinal, cada pessoa pode adaptar a grade de acordo com a necessidade e o tempo disponível. Para Lusia Borges, 63 anos, o EJA foi a porta de entrada para conseguir ser apadrinhada pela empresa Jalles Machado e alcançar a certificação do ensino médio.

“Eu me transferi para o SESI porque teria oportunidade de concluir o ensino em um período menor. Além disso, é uma instituição séria e renomada, então achei melhor mudar. Com certeza, o SESI, os professores e toda equipe contribuíram para essa conquista”, relembra Lusia.

Além de apoiar a formação educacional, a equipe profissional é preparada para oferecer suporte emocional e dar orientações. As inscrições podem ser feitas em qualquer unidade do SESI e, atualmente, o EJA oferece aulas on-lines e presenciais.

Não esqueça as vantagens de se qualificar. Sempre!
No Dia do Estudante, aproveitamos para lembrar as vantagens de se qualificar continuamente para aproveitar as oportunidades do mercado de trabalho. Pesquisa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) mostrou que ex-alunos de cursos de qualificação profissional do SENAI têm 30% de chances a mais de conseguir emprego no período de um ano após terem sido demitidos. Além disso, os programas de qualificação profissional do SENAI aumentam a empregabilidade de curto-prazo e os salários dos alunos, facilitando a mudança de setores e ocupações.

Mesmo em tempos de crise, a qualificação também abre as portas do mercado para quem busca o primeiro emprego. O importante é não desanimar!

Sem perder tempo, a paraibana Maria Isabel Gomes, por exemplo, se matriculou no SENAI do estado assim que concluiu o ensino médio. A jovem passou por processo seletivo em janeiro e, no mês seguinte começou a frenquentar as aulas. Com a chegada da Covid-19, a modalidade do curso técnico de Administração mudou: as aulas presenciais passaram a ser on-line.

"Apesar da pandemia, os professores continuam dando o máximo para nos passar o conteúdo na educação a distância (EaD). Apresentamos trabalho em vídeo conferências, respondemos formulários e assim vamos nos adaptando com as novas plataformas. Mesmo com a distância, posso dizer que há professores que nos passam tanta naturalidade que, mesmo sem conhecê-los pessoalmente, a impressão é que nos conhecemos há anos", conta a estudante de 19 anos.

Maria já conseguiu um estágio na área administrativa graças ao curso técnico, apesar de não ter muitas certezas sobre qual caminho seguir quando entrou no SENAI. Quando concluir o curso, no primeiro semestre de 2021, o plano é seguir os estudos, desta vez em um curso superior de Administração.

Para a estudante, o ensino é uma grande oportunidade para todas as pessoas. "O curso veio para mim como uma janela, tanto para conhecer mais na área administrativa, como na área de trabalho. A educação é importante para evoluímos, estarmos sempre cientes do que estamos falando, ter noção das coisas e, com isso, poder melhorar o mundo. A educação serve para ajudar não só a si próprio, mas ao próximo também", afirma Maria Isabel.

Como Maria, outro estudante que não desanimou durante essa pandemia e decidiu se qualificar é Daniel Vianna de Oliveira, 17 anos. O jovem seguiu os conselhos dos familiares e ingressou no curso técnico de Segurança do Trabalho, no SENAI da Paraíba, assim que saiu da escola.

Ele percebeu diferença em muitas áreas da vida. "Abriu meus olhos para várias oportunidades, além de que me ensinou muitas coisas, não só na área técnica como também para vida. Profissionalmente, espero ingressar no mercado de trabalho e por em prática todo conhecimente que me foi ensinado", conta Daniel.

"É uma experiência que lhe agrega diversos conhecimentos, dando a você uma nova perspectiva para vida de um modo em geral. Além disso, a pessoa terá uma entrada mais rápida no mercado de trabalho, podendo conciliar o trabalho e a possibilidade de um curso superior, caso tenha interesse", completa.

Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Ibope, mostra que 90% dos entrevistados concordam que quem faz ensino técnico tem mais oportunidades no mundo de trabalho do que quem não faz nenhum curso. Sobre salários, a percepção também é positiva: 82% concordam que os profissionais com certificado de qualificação profissional têm salários maiores do que os que não têm.

Para conhecer as opções de cursos do SENAI e as profissões da indústria, basta acessar a plataforma Mundo SENAI. No guia de profissões, é possível saber detalhes das atividades desenvolvidas por profissionais da indústria e os salários médios de cada profissão. Os interessados em se qualificar poderão ainda conhecer o currículo dos cursos e como se matricular.

O Mundo SENAI conta ainda com o Contrate-me - parceria com a plataforma de empregabilidade SPECK - conhecida pelo potencial de mostrar as capacidades socioemocionais dos candidatos. As possibilidades são direcionadas aos alunos, egressos ou futuros estudantes do SENAI interessados em trabalhar na indústria brasileira.

Estudantes no mercado de trabalho
A educação abre portas para o mundo do trabalho. O estágio é, geralmente, o primeiro contato dos jovens com o mercado. No entanto, é no estágio que se vê a importância da educação: para um jovem continuar estagiando, é necessário apresentar boas notas no histórico escolar ou da faculdade.

Às vezes, o estágio é a peça que falta para transformar a visão de um estudante sobre o mundo. Para Diego Passos Trindade, por exemplo, ter ingressado no mercado de trabalho, por meio de um estágio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), tem contribuído efetivamente para o seu desenvolvimento profissional.

O aluno do 6º semestre do curso de Comunicação – Cinema e Vídeo, da Faculdade de Tecnologia e Ciência (UniFTC), trabalha atualmente no departamento de comunicação do IEL da Bahia. Ele passou no processo seletivo em fevereiro, mas, no mês seguinte, precisou se adaptar ao trabalho remoto com a chegada da pandemia.

Mas ele não desanimou. Na verdade, para Diego, a experiência profissional foi ampliada no novo formato. “Ganhei concentração e agilidade com o ambiente de trabalho que construí em casa”, conta o soteropolitano, que adequou espaço, horário de trabalho e estudo para que pudesse entregar bons resultados.

“Precisei estruturar meu local de trabalho para não ser incomodado a cada refeição; troquei a cadeira do computador e evitei dores musculares; driblei os pedidos de ajuda da minha irmã, com quem divido a casa; e convenci o vizinho a trocar o cano de água estourado só no fim de semana”, explica o jovem.

A partir dessas pequenas mudanças, Diego percebeu que poderia ser mais criativo e produziu uma série de novidades para o setor. Entre elas uma playlist, encaminhada por e-mail semanalmente para mais de 100 colaboradores do instituto. A partir das músicas indicadas pelos funcionários escolhidos aleatoriamente a #Sextou descontrai o fim de semana de todos.

Segundo ele, ser selecionado pelo programa do IEL da Bahia para estagiar no próprio instituto foi uma excelente oportunidade. "Adquiro prática, recebo orientação, desenvolvo habilidades, ganho conhecimento e contribuo com o aprendizado obtido na faculdade”, pontua Diego.

Repórter PB

Destaques