aparecida

Justiça não se decide e Aparecida vive caos administrativo

"O juiz indeferiu o pedido de liminar do prefeito numa decisão sem fundamentação jurídica”,

A cidade de Aparecida está vivendo um caos administrativo. Isso pelo fato de a Justiça não ter tomado uma decisão fundamentada sobre quem de fato é o prefeito da cidade. No final da tarde desta segunda-feira (17), o juiz da 4a Vara Mista de Sousa, Agílio Tomaz Marques, indeferiu pedido de liminar do prefeito Júlio César Queiroga, indo de encontro com decisão proferida pelo mesmo juízo na última semana, que indeferiu o pedido dos Vereadores para dar posse ao vice-prefeito.

Apesar do indeferimento do pedido dos Vereadores, ocorreu a posse do vice-prefeito, em um ato de força, praticado pelo Presidente da Câmara, sem a conclusão da tramitação judicial necessária.

"O juiz indeferiu o pedido de liminar do prefeito numa decisão sem fundamentação jurídica”, explicou o advogado de Júlio César, Geilson Salomão. "Indefiro a liminar por hora, sem esquecer da possibilidade de concessão dessa tutela requerida após manifestação ministerial", diz o curto texto da decisão.

A situação estaria trazendo problemas para a cidade e para a população, já que os fornecedores não sabem quem de fato é o prefeito. "Até o abastecimento de uma ambulância tem criado problemas, já que o vice quer suspender a compra do combustível. Ele também já busca acesso às contas bancárias do Município, mesmo sem ter a posse reconhecida judicialmente", explicou Salomão.

O vice-prefeito Valdemir foi empossado por ato de força na noite da última sexta-feira (14). A posse, foi realizada pela Câmara Municipal antes da autorização oficial da Justiça.

Repórter PB

Destaques