Em Sousa, o Leão da Ambev anda acuado, e querem expulsá-lo do PSD, após tomarem comando

Em Sousa, sua política, suas decisões, tudo é muito intenso

Em Sousa, sua política, suas decisões, tudo é muito intenso.

A mais nova é a derrubada do “Leão” Zenildo Oliveira do partido que comandava desde 2016, quando surgiu o projeto de ser candidato a prefeito na condição de opção para o povo de Sousa. O resultado foi contentar-se com a vice vitoriosa de Fábio Tyrone, prefeito superando a reeleição de André Gadelha desgastado com o projeto da taxa de iluminação pública.

Na política é como nuvem passageira, ora está aqui, ora ali, depende muito do vento.

Sobre essas condições, os ventos sopram contrários para alguns entendimentos partidários no Estado que ecoam nas decisões, e posições parciais no Município de Sousa.

O PSD, antes comandado pelo Deputado Federal, Romulo Gouveia (in memory), hoje é conduzido pelo prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues que não se afina politicamente com o esquema do Prefeito Fábio Tyrone em Sousa, tão pouco com o Governador João Azevedo na Paraíba.

Pegando essa brecha, o ex-prefeito André Gadelha articulou, e conseguiu exonerar a direção do Partido em Sousa comando pelo vice-prefeito, Zenildo Oliveira, e colocou para presidir seu adversário, ex-aliado político, Fábio Braga, e como vice, sua esposa, Flaviana Palmeira.

A notícia causou choque sem dúvida no mundo político sousense. Uma figura sem lenço sem documento, sem história nenhuma política comandar o Leão da AMBEV, o vice-prefeito de Sousa, o Empresário bem sucessivo, Zenildo, isso era, e não é para ninguém acreditar.

Agora vem o golpe de misericórdia: o ex-aliado Fábio Braga anuncia na Imprensa local que vai expulsar o Leão da AMBEV do partido como ele não fosse peça importante, figura respeitada na política local, meramente para uma espécie de vingança por tudo aquilo que aconteceu em 2016 com o então candidato a Vereador, Fábio Braga. (O que aconteceu entre os dois, só Deus sabe).

Tem um ditado popular que é bem vertente: “O Cidadão entra na política pelas mãos dos amigos, não sai por causa dos inimigos”.

Até o presente, o vice-prefeito de Sousa tem permanecido calado, sem declaração pública, ou nota à imprensa para se posicionar dos considerados ataques.
O que é verdade que tomaram o comando do PSD, e agora começam a aparecer os seus efeitos.

A História

Fábio Tyrone (PSB) se consagrou eleito no pleito em 2016 em cima do rival político, o então prefeito de Sousa, André Gadelha (PMDB). Tyrone obteve 20.059 votos (52,93%) e André obteve 17.836 (47,07%), uma maioria a favor de Tyrone de 2.223 votos.

40.766 eleitores compareceram para votar, destes 856 votaram em branco e 2015 anularam o voto. O número de abstenção foi 2.798.

E assim caminha a humanidade!

Pereira Jr.
Articulista, e Analista Politico

Destaques