Em Sousa, Zé Célio, ou deixa o off, ou continuará sem realizar o sonho de ser Prefeito; Entenda

Com esses números, o Médico alimenta o desejo de ser candidato a Prefeito em 2020 pelas oposições.

O resultado nas urnas não mente. O ex-vice-Prefeito de Sousa, Dr. Zé Célio de Figueiredo, assinalou no Município nas eleições de 2018, 9.657 votos para deputado Estadual, sem nenhum apoio de lideranças da Cidade consideradas importantes. Lindolfo com apoio dos Governos Municipal, e estadual ficou na segunda colocação com 9.119 votos. Em terceiro lugar, Dr. Renato Gadelha, com 3.576 votos, e teve o apoio do ex-prefeito, André Gadelha, e seu esquema político local.


Com esses números, o Médico alimenta o desejo de ser candidato a Prefeito em 2020 pelas  oposições.


Um ditado chinês já alerta: “uma longa caminhada, inicia-se no primeiro passado”. É o pontapé que se espera de Dr. Zé Célio para que o eleitor sousense comesse a enxergar que o desejo, e a fala saiam da retórica, e passem a prática. Em campanhas passadas, Dr. Zé Célio desistiu do projeto, e partiu para candidaturas secundárias. Talvez a razão da desconfiança neste instante do eleitor.


Mesmo com respaldo das urnas passadas, neste momento, poder se ver em Dr. Célio sem estrutura para iniciar o primeiro passado rumo a ganhar simpatia de algumas lideranças políticas para passar então ao segundo passo, atrair para si os olhares do eleitor sousense. Não pode negar, que cada eleição tem sua história, e na política, ninguém caminha sozinha a vitória. É preciso de apoios firmes para o fortalecimento do Projeto. Agora, o que não pode é desmerecer o trabalho social de Dr. Zé Célio, uma bandeira importante nesta ocasião.

Neste primeiro momento, os analistas políticos locais não conseguem vislumbrar essas ações pontuais por parte do pré-candidato para convergir ao agrupamento político do ex-vice-prefeito, que deverá dá longos passados para conversar, e ganhar a confiança de muitas lideranças dos remanescentes da política oposicionistas, que por enquanto, têm muito tempo para ver esse bonde andar, ou devagar, ou com seu velocímetro acima da velocidade permitida no percurso. Um detalhe importante: quem sai da frente, tem mais chances de chegar primeiro.


Dr. Zé Célio terá que sair da fase do “Lobo Solário” para encontrar verdadeiros apoiadores que lhes der guarida, sustentabilidade do seu projeto tão sonhado, e almejado pessoalmente.


Basta lembrar a trajetória recente, como exemplo de Fábio Tyrone, atual Prefeito de Sousa. Ele montou seu Grupo de apoiadores, quase dois anos antes da eleição, isso em 2006, para ser eleito em 2009, e neste período, não abandonou ninguém.


O atual vice-prefeito, Zenildo Oliveira, fortaleceu seu nome com importantes apoiadores conquistados um ano antes das eleições de 2016. E manteve as chamas dos seus apoiadores bem acessas, alimentado sempre de bons propósitos, e esperanças. O resultado foi quebrar barreiras intransponíveis e ganhou a vaga de vice na chapa de Tyrone, seu ex-sócio empresarial.


Exemplos que a história conta. Isso é fato. Quem tem ouvidos, ouça, e quem lê, acredite.


E aí Dr. Zé Célio? Pronto para sair do off, e encarar o on?

Saideiras

***** O Presidente da Câmara de Vereadores de Sousa, Radamés Estrela (PDT), que tem como padrinho político, o ex-prefeito João Estrela (PDT), montou estrutura no Legislativo de divulgação de seu Gabinete, mirando voos mais altos em 2020. Alguém de mais dúvidas aí?

***** Da miscigenação de partidos políticos que convergem atualmente os onze parlamentares a base governista do Prefeito Fábio Tyrone no Legislativo sousense deverá resumir em duas siglas até o final do ano. As prováveis: PDT comandada pelo ex-prefeito São Estrela, e PSB, do Prefeito Tyrone

***** Surge então a dúvida do PSD, partido do vice-prefeito, Zenildo Oliveira, que tem no legislativo, um Vereador. Vai ou fica sem misturar as bandeiras partidárias?

**** O motivo é que em 2020 não têm mais coligações. Os Vereadores devem se reinventarem para buscar conquistar os eleitores no primeiro momento, naturalmente manterem suas cadeiras na Casa de Otacílio Gomes de Sá, obviamente em blocos partidários que possam atingir o coeficiente eleitoral


***** A Oposição na Câmara de Vereadores em Sousa, mantém quatro Edis de legendas partidárias diferentes: PSDB, PMDB, PROS, e PR

***** A Pergunta que se faz também, é se essas siglas vão convergir, e para qual Partido? Analistas acreditam que três deles seguem o curso natural do PSC de Marcondes Gadelha, e a quarta sugestão para o PV, comando estadualmente pelo Prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo


***** Depois, esses quatro Vereadores da base oposicionistas devem começar a atrair outras lideranças para esses partidos para então buscarem atingir o coeficiente eleitoral, garantirem então, o retorno ao Poder Legislativo em 2020. Uma tarefa nada fácil


Frase do Dia


- O Orçamento Democrático Estadual, este ano, vai ampliar a forma de participação com a inserção de novas tecnologias. O objetivo é facilitar o cadastro das demandas apresentadas pela população, assim como, de qualificar o resultado das audiências. Essa nova ferramenta será apresentada ao público no dia do lançamento do ciclo, além de todo o calendário e locais em que serão realizadas as plenárias”, informou Célio Alves, secretário de estado do OD da Paraíba


Pereira Jr.
Analista politico
Contato com essa Coluna – 83-98140-4747

Destaques