prisão

Acusado de pertencer e chefiar facção do crime na Bahia é preso durante ação da Polícia Civil na Capital João Pessoa

Segundo o delegado Reinaldo Nóbrega, que coordenou a ação, policiais civis da Bahia entraram em contato com sua equipe e informaram sobre o fugitivo da Justiça baiana

Polícia Civil da Paraíba prendeu neste sábado (23), um dos chefes de uma facção criminosa da Bahia que estava se escondendo em uma casa no bairro de Água Fria, em João Pessoa. O homem é foragido da Justiça baiana e é considerado de alta periculosidade. O nome e a imagem do preso não serão divulgados em cumprimento à Lei de Abuso de Autoridade.

Segundo o delegado Reinaldo Nóbrega, que coordenou a ação, policiais civis da Bahia entraram em contato com sua equipe e informaram sobre o fugitivo da Justiça baiana que estaria se escondendo na Paraíba há alguns meses. De imediato, a Polícia Civil da Paraíba montou campana na cidade de Lucena onde, a princípio, o criminoso estaria escondido.

“A primeira informação era de que ele estaria na praia de Lucena, então nossa equipe montou campana e passou boa parte do dia naquela cidade. A troca de informações com a Polícia Civil da Bahia permaneceu durante todo o dia e surgiu a confirmação que ele teria mudado de local e estaria agora em uma casa no bairro de Água de Fria, em João Pessoa”, detalhou o delegado.

De posse dessa informação a equipe do delegado Reinaldo Nóbrega seguiu para Água Fria e aguardou o suspeito chegar em casa. “Quando ele estava chegando e desceu do carro, nós fizemos a abordagem e foi dado cumprimento ao Mandado de Prisão. No momento em que fizemos a abordagem ele estava portando uma pistola 9 mm, que foi apreendida por nossa equipe”, informou.

“Foi um importante trabalho de integração entre as Polícias dos dois Estados. É importante ressaltar ainda que o preso é um dos chefes de uma facção criminosa na Bahia e um indivíduo de altíssima periculosidade”, concluiu.

O preso foi encaminhado para a carceragem da Central de Polícia de João Pessoa e ficará à disposição da Justiça baiana.

Repórter PB

Destaques