Evento

Governo da PB realiza I Mostra da Agricultura Familiar para compras governamentais

O evento reuniu dezenas de produtores, associações e cooperativas ligadas à agricultura familiar dos diversos segmentos: frutas, raízes, hortaliças, derivados de leite e artesanato.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), por meio da Secretaria Executiva de Economia Solidária (Sesol), em parceria com o Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase), realizou nesta quarta-feira (9), no estacionamento da Maternidade Frei Damião, a I Mostra da Agricultura Familiar para compras governamentais. O evento reuniu dezenas de produtores, associações e cooperativas ligadas à agricultura familiar dos diversos segmentos: frutas, raízes, hortaliças, derivados de leite e artesanato.

Segundo o gerente de Desenvolvimento Produtivo do Procase, Alex Carlos Pimentel, a mostra apresentou ao sistema de saúde do estado produtos da agricultura familiar. “Mostrar que temos muita produção, produtos saudáveis, de qualidade, sem agrotóxicos, com condições de regularidade e por preços justos. Os produtores participam de várias feiras, em João Pessoa e em outros municípios, e buscam acessar a política pública, via compras institucionais, do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). E essa Mostra é o momento de apresentação desses produtos, enquanto que a feira você já encontra em diversos locais".

A secretária executiva de Economia Solidária, Roseana Meira, externou sua satisfação em constatar o envolvimento dos trabalhadores usuários do hospital com os parceiros, os agricultores e o pessoal de artesanato. “A maior dificuldade hoje é de como comercializar esses produtos, em quais espaços, para que a economia solidária tenha a capacidade de se desenvolver, e ocorra a troca entre produtores e consumidor. E esse movimento das feiras é fundamental, porque os produtos são colocados para conhecimento do grande público, que tem oportunidade de adquiri-los diretamente de quem produz. Produtos sem utilização de agrotóxicos, num momento cada vez pior, de liberação desenfreada de centenas de agrotóxicos, sem nenhum controle", observou.

O gerente de Negócios da Cooperativa dos Produtores de Leite de Monteiro (Capribom), Rubens Remígio, informou que a entidade congrega cerca de 400 sócios que estão produzindo diariamente quase 10 mil litros de leite, de cabra e vaca. “Estamos avançando no mercado governamental através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), comercializando com diversos núcleos no estado da Paraíba, do Cariri até a Capital. E atendendo convite, viemos expor nossos produtos buscando comercializá-los também na área da Saúde", comemorou.

E observou: "O desafio é o mercado, é a comercialização, é vender e receber por um preço justo, agregando valor à nossa produção. Nas linhas de leites, o de cabra é o gargalo porque o mercado privado não existe. O de leite de vaca é mais fácil, por questões culturais, preferem os produtos derivados do leite de vaca, estamos trazendo queijos, iogurtes, bebidas lácteas. Além de polpas das frutas umbu e goiaba".

A técnica de enfermagem Margarida Gomes da Silva (57) elogiou a iniciativa: "Estou achando ótima. Nesses 20 anos que estou na Maternidade, nunca houve. Para mim que sou dona de casa, traz um benefício grande, tudo natural, sem química, um preço bom".

Repórter PB

Destaques