prefeitura

Ex-Primeira Dama do Lastro confirma que Emmanuel é pré-candidato a Prefeito em 2020, e diz que Athayde abandonou a Cidade

A ex-primeira Dama, Kaká Abrantes, confirmou que seu Esposo, Emmanuel Sarmento é “pré-candidatíssimo” a Prefeito do Lastro em 2020.

Nesta segunda-feira (17), foi comemorado os 56 anos de Emancipação Política do Município do Lastro.


Algumas solenidades, a exemplo do hasteamento dos pavilhões nacional, estadual, e municipal, além da tradicional missa na Igreja São Sebastião, os munícipes notaram ausência do Prefeito Dr. Athayde Diniz, sem explicação para tal motivo.


A ex-primeira Dama, Kaká Abrantes, confirmou que seu Esposo, Emmanuel Sarmento é “pré-candidatíssimo” a Prefeito do Lastro em 2020.


Segundo Kaká Abrantes, o que se comenta no Lastro, principalmente é a ausência do Prefeito Athayde em alguns eventos públicos na agenda oficial em comemoração aos 56 anos, caracterizando abandono de função.


- A situação do Lastro é mais crítica do que você pensa. O Pai dele deu agora apoio ao Dr. Lincoln Bezerra, o que possivelmente teria levado ele há não participar de nenhum momento da Programação. O prefeito diz que não quer, e não apoia a ninguém. Veio um Deputado, e o pai dele começou a fazer campanha no meio da Rua, ele não gostou, e não apareceu no município, revelou.


Kaká Abrantes, não escondeu o desejo que seu esposo tem de retornar administrar o Lastro, e acresceu: “Eu já lhe adianto que Emmanuel é pré-candidato a Prefeito. Hoje é o homem mais forte do Município na política é ele. Já fizeram algumas pesquisas internas apontam ele em primeiro lugar. É o homem que está na boca do povo: Emanuel, contou.


Com relação apoios, Kaká lembrou que quando Emmanuel foi candidato anteriormente não tinha vereadores ao seu lado, apenas o apoio do povo que lhe levou a condição de Prefeito do Município. Atualmente o Prefeito Athayde tem ao seu lado no Legislativo, oito Vereadores, contra um, Vereador, Antônio Filho do Distrito de Boa Esperança.

- A campanha da gente é feita com o povo. Ninguém vota no Vereador lá, e diz: eu voto no meu vereador e acompanho o prefeito. O povo não faz assim. Ele pode até dá um voto ao Vereador, mas o voto do candidato a prefeito quem escolhe são eles. A gente não tem medo desta bancada de Vereadores, até por que não é certeza que essa bancada toda fica lá, por quer a briga por lá está grande, concluiu.

Repórter PB

Destaques