Encontro

Conselho de Assuntos Legislativos reforça urgência da reforma tributária

O encontro virtual contou com a participação do vice-presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Marcelo Ramos, que criticou o Custo Brasil e as recentes desonerações da importação de diversos produtos pelo governo.

Na primeira reunião Conselho de Assuntos Legislativos (CAL) da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em 2021, os representantes do setor produtivo discutiram projetos importantes para o país enfrentar a pandemia e a economia voltar a crescer.


O encontro virtual contou com a participação do vice-presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Marcelo Ramos, que criticou o Custo Brasil e as recentes desonerações da importação de diversos produtos pelo governo.

“Argumentam que essa (a desoneração de importações) é uma promessa de campanha, mas também é uma promessa de campanha a redução do Custo Brasil. As indústrias brasileiras não têm problema de competitividade da porta para dentro, mas sim da porta para fora com custos que os produtos importados não têm. Falta previsibilidade. Precisa ter diálogo setorial e reciprocidade dos países beneficiados”, comentou.

Na avaliação do parlamentar, da forma como tem sido feita as desonerações, elas prejudicam o país. “Precisa de uma calibragem com o Custo Brasil. É absurdo desonerar a importação e onerar a exportação. Nos dê um ambiente de negócios que tem a China, o Vietnã e os EUA, que aí conseguimos competir de igual para igual. No caminho que vai, o Brasil vai se tornar um grande exportador de duas coisas: tributos e empregos”, completou.

Reforma tributária faz parte dos projetos prioritários da Agenda Legislativa

Os integrantes do Conselho de Assuntos Legislativos repassaram projetos prioritários que compõem a Agenda Legislativa da Indústria, lançada no dia 23 de março.

CNI lança Agenda Legislativa com 14 projetos prioritários

Destaque para a reforma tributária, apontada como fundamental para melhorar o ambiente de negócios no país com a simplificação do sistema e o maior equilíbrio entre as cargas praticadas para os diversos setores da economia.

“Precisamos unir esforços para a reforma tributária tramitar. Esse é um assunto prioritário para o Brasil. Já estamos aguardando há anos”, comentou o presidente do CAL, Paulo Afonso Ferreira.

Repórter PB

Destaques