Alagoinha

Estação Experimental de Pesquisa da Empaer recupera maquinário e trabalhos ganham reforço

Foram recuperados dois carroções, equipamentos indispensáveis ao trabalho realizado pelo órgão, tanto na produção agrícola quanto nas pesquisas

A Estação Experimental de Alagoinha está recuperando equipamentos e implementos nas atividades agrícolas, que necessitam constantemente de revisão, devido à carga de trabalho que sofrem durante a sua vida útil. Foram recuperados dois carroções, equipamentos indispensáveis ao trabalho realizado pelo órgão, tanto na produção agrícola quanto nas pesquisas. Esse é considerado o caminho mais sensato e econômico para a exploração agrícola.

A Estação pertence à Empresa de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), vinculada à Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap), trabalha o melhoramento genético de animais e executa o projeto Integração Lavoura Pecuária e Floresta (ILPF), que está em fase avançada das pesquisas. Seus dirigentes estavam preocupados com o estado físico dos seus carroções, que se encontravam danificados e notaram que poderiam ser recuperados.

O chefe da Estação, juntamente com os servidores, realizou a recuperação destes equipamentos indispensáveis ao trabalho, com o dispêndio de poucos recursos financeiros. Foram dois carroções recuperados que agora voltam a servir no atendimento dos trabalhos ali executados, tanto na produção agrícola quanto nas pesquisas.

“Nossos carroções estavam deteriorados devido aos anos de uso, então, com participação dos tratoristas, que não mediram esforços, recuperamos esses equipamentos sem custos adicionais, o que trouxe economia de despesas para a Estação e irá contribuir muito com o sucesso do nosso trabalho”, comentou o chefe da Estação Experimental de Alagoinha, Rubens Fernandes da Costa.

Para a execução dos trabalhos de melhoramento genético das raças Guzerá e Sindi realizados na Estação Experimental, esses equipamentos são de grande utilidade no transporte de alimentos para os animais, como ração balanceada, capim elefante, cana-de-açúcar, sorgo, milho, silagem e água.

Na área agrícola, principalmente no projeto Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF), os equipamentos são usados no transporte de adubos, calcário, defensivo agrícola, estacas, arame farpado e, também, na produção agrícola como milho, algodão, sorgo, soja, amendoim forrageiro e feijão.

Repórter PB

Destaques