Entrevista

Babu abre o jogo sobre machismo, dinheiro e representatividade

Ao ser perguntado sobre masculinidade tóxica, Babu não escondeu o jogo e foi direto ao ponto.

Babu Santana falou sobre as lembranças da sua criação em entrevista ao Canal Rap TV, divulgada nesta sexta-feira (22). O ator exaltou a importância da presença da mãe para sua formação como homem em um mundo machista, ensinando a fazer algumas atividades domésticas desde cedo.

“Ela sempre falava: ‘Vai fazer, porque seus amigos vão depender de uma mulher para fazer isso e não é maneiro. A mulher não foi feita para ser empregada, você só vai precisar de uma mulher para amar e ser amado. Eu estou criando filho para ser independente’. Minha mãe sempre falou isso desde que eu tinha 5 anos de idade”, contou.

Ao ser perguntado sobre masculinidade tóxica, Babu não escondeu o jogo e foi direto ao ponto. “Quando foi criado essas nomenclaturas, lembro que comecei a conversar com a minha amiga: ‘Cara, mas minha mãe sempre me falou isso e nunca teve esse nome, masculinidade tóxica, machismo’. A gente sempre lidou com isso”, explicou.

Assunto no “Big Brother Brasil 20”, Babu falou sobre a sua instabilidade financeira. “Cara, artista não ganha dinheiro como esse povo pensa! E outra coisa, nós somos os cronistas do nosso tempo, não adianta, a gente pode ser criticado, pode ser enxovalhado, nós vamos continuar sendo cronistas do nosso tempo”, afirmou.

Ao ser perguntado sobre a importância da presença de artistas negros como Emicida, Ludmilla e Iza na mídia, ele reforçou. “Essas pessoas se tornam referência de que o sonho é possível… Essas pessoas estão onde estão, rompendo as barreiras que rompem, eles vão deixando essas portas abertas para esses meninos sonharem”, finalizou.

Com Famosidades

Repórter PB

Destaques