Artistas

Secult realiza oficinas sobre editais da 2ª fase da Lei Aldir Blanc

A Comissão Executiva da LAB se reuniu nessa quarta-feira (15) e definiu um cronograma para as transmissões ao vivo com a participação dos coordenadores de cada edital.

Os artistas e demais trabalhadores do setor cultural terão à disposição cinco oficinas para esclarecer eventuais dúvidas sobre os editais da 2ª fase da Lei Aldir Blanc (LAB) na Paraíba. A Comissão Executiva da LAB se reuniu nessa quarta-feira (15) e definiu um cronograma para as transmissões ao vivo com a participação dos coordenadores de cada edital.


As transmissões ocorrerão pelo canal da Secretaria de Estado da Cultura (SecultPB) no YouTube (https://www.youtube.com/user/secultgovpb) e pela página no Facebook (https://www.facebook.com/secultgovpb).

Lúcio Rodrigues, coordenador da Comissão Executiva, explicou que as oficinas serão um instrumento que ajudará aos proponentes a entenderem as exigências, o que é fundamental para se apresentar uma boa proposta. Mas ele chama a atenção para a necessidade dos proponentes lerem atentamente os editais antes de apresentarem suas propostas e seus projetos.

“É muito importante que as pessoas leiam os editais. Lá está todo o regramento para a participação, os critérios, os valores de cada categorias, as condições em que as propostas e os projetos precisam estar adequados. Enfim, ler o edital é o primeiro passo para entender como podemos participar”, explica Lúcio Rodrigues.

Cronograma

• 21/9 – Terça-feira

14h às 16h – Live Oficina do Edital Wills Leal

• 22/9 – Quarta-feira

9h às 11h – Live Oficina do Edital Hermano José

14h às 16h – Live Oficina do Edital Mãe Maria do Peixe

• 23/9 – Quinta-feira

9h às 11h – Live Oficina do Edital Corrinha Mendes

14h às 16h – Live Oficina do Edital Parrá

Editais e valores

• Edital Corrinha Mendes (credenciamento) – serão distribuídos R$ 2,76 milhões para credenciamento de 560 propostas culturais e artísticas para realização e exibição em formato digital nas expressões de teatro, dança, circo, hip hop,  literatura, cordel, cultura popular e afins; música, rap, repente e afins; grafite, audiovisual e ações formativas que compreendem workshop, oficina, master class, palestra, seminário, debate, curso livre, oficina, seminário, conferência, mesa-redonda, debate, entre outras. São cinco modelos de projetos, que terão valores de R$ 2 mil a R$ 9 mil.

• Edital Hermano José (premiação) – R$ 4 milhões para seleção e premiação de 730 obras físicas de Artesanato, Habilidades Manuais, Artes Visuais, Fotografia e Literatura (livros e cordéis). Duas categorias de projetos com valores de R$ 5 mil e R$ 10 mil.

• Edital Parrá (premiação) – R$ 4,41 milhões para 193 projetos culturais em fase inicial, de continuidade, e em fase de finalização executados por artistas independentes (músicos, musicistas, escultores, escultoras, pintores, pintoras, grafiteiros, grafiteiras, fotógrafos, fotógrafas, bailarinos, bailarinas, atores, atrizes, artistas circenses, realizadores, realizadoras, produtores audiovisuais, produtoras audiovisuais, escritores  e outros), produtores(as) de jornalismo cultural em blogs e sites, profissionais das mídias sociais independentes, programadores(as), artesãos(ãs) e técnicos(as) (iluminadores, iluminadoras, sonoplastas, assistentes de palco, cenógrafos, cenógrafas, figurinistas, maquiadores, maquiadoras, etc.), produtores(as) e criadores de moda, designers, produtores de ações em defesa do patrimônio histórico e artístico, de grupos e coletivos artísticos e culturais, trupes circenses, circos itinerantes, grupos de capoeira, estúdios de dança, sebos e pequenas livrarias, editoras, grupos musicais, bibliotecas e videotecas comunitárias, pequenos estúdios, ateliês de arte e de artesanato, museus privados, entre outros, que não sejam mantidos pelo poder público (municipal, estadual ou federal). Os projetos serão divididos em três categorias, com valores de R$ 10 mil, R$ 30 mil e R$ 50 mil.

• Edital Mãe Maria do Peixe (premiação) – R$ 3,98 milhões para 116 vídeo-biografias apresentadas por iniciativas coletivas. Ele será destinado a artes cênicas (teatro, circo, dança), música, circo tradicional itinerante, cultura popular e tradicional (grupos e expressões relacionadas aos festejos juninos, aos festejos carnavalescos e às manifestações das culturas populares e tradicionais), para fins de composição do Acervo da Cultura Paraibana – Memorial da Pandemia. Serão selecionados projetos em duas categorias, com valores de R$ 25 mil e R$ 55 mil.

• Edital Wills Leal (premiação) – R$ 1,5 milhão para 300 videobiografias individuais para fins de composição do Acervo da Cultura Paraibana – Memorial da Pandemia e contemplará artistas solos, mestres e mestras, técnicos e técnicas e produtores culturais, cujas trajetórias contribuem para a identidade cultural da Paraíba nos diversos segmentos de teatro, dança, circo, cultura popular, música, audiovisual, literatura, artesanato, artes visuais, entre outros. Cada projeto será beneficiado com o valor de R$ 5 mil.

Inscrições - Os editais foram publicados na edição do dia 11/9 do Diário Oficial do Estado.

É possível acessá-los pela página do Governo do Estado (https://paraiba.pb.gov.br/) ou da própria Secretaria de Estado da Cultura (https://paraiba.pb.gov.br/diretas/secretaria-da-cultura/), via banner específico que encaminha os interessados ao hotsite da Lei Aldir Blanc – 2ª fase.

Tanto as inscrições nos editais quanto o Cadastramento Cultural serão realizados via plataformas digitais, com o preenchimento de formulários eletrônicos.

Repórter PB

Destaques