vereador

Prestação de Contas da Câmara de Vereadores de Cajazeiras aponta várias irregularidades, a até emissão de cheque sem fundo

Devolução de Cheques sem provisão de fundos, no total de R$ 7.017,39

A prestação de Contas do Exercício financeiro do ano de 2020 da Câmara Municipal de Cajazeiras, apresentou várias irregularidades, e inconformidades na Prestação de contas iniciais junto ao Tribunal de Contas do Estado.

Entre as irregularidade detectadas no relatório inicial estão:

- Devolução de Cheques sem provisão de fundos, no total de R$ 7.017,39

- Débitos de taxas de devolução de Cheques sem fundos, no  total de R$ 279,26

- Despesas de serviços Contábeis e Advocatícios acobertados por processos de Inexigibilidades

- Aquisição de Material Permanente através de dispensa de Licitação - R$ 49.800,00;

- Aprovada Lei 2.822/2020, sem observância aos princípios  Constitucionais – Aumento dos próprios salários. 

O TCE intimou nesta quinta-feira (02), o advogado da Câmara Municipal para apresentar contestação no Relatório do TCE sobre as conformidades detectadas iniciais pela Auditoria da Corte de Contas



No Exercicio de 2020, o Vereador presidente da Casa de Otacílio Jurema era Jose Goncalves de Albuquerque, “Delzinho da Arara”. 


Repórter PB

Destaques