desenvolvimento

Em Patos – Assembleia discute sustentabilidade, e desenvolvimento Regional para o Sertão

O debate foi proposto pelo presidente da Frente, o deputado Buba Germano (PSB)

A Frente Parlamentar de Ciência, Tecnologia e Inovação da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta sexta-feira (16), audiência pública, no auditório da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), no Campus de Patos, para debater ações de sustentabilidade e desenvolvimento regional no Sertão paraibano.

O debate foi proposto pelo presidente da Frente, o deputado Buba Germano (PSB). Para ele, “dominar a tecnologia, desenvolver a capacidade de inovar, criar, adaptar e aplicar o conhecimento científico em determinada área é de extrema relevância para o desenvolvimento humano e econômico”. “A aplicação de conhecimentos reflete em produtos, processos e serviços úteis à sociedade. O ideal é que possamos tirar o melhor proveito e os encaminhamentos servirão para que os parlamentares possam cumprir seu papel de criar leis e sugerir projetos”, declarou o deputado.

Buba ressaltou que o debate envolve principalmente arranjos produtivos locais, para atuar, em parceria com instituições de ensino, pesquisa e lideranças, em cadeias produtivas como, no caso da região do Sertão, do couro e do leite. “Nós vamos fazer um diagnóstico da dinâmica econômica da região, que envolve 24 municípios e Patos, que é uma cidade polarizada e que agrega a maior parte do PIB (Produto Interno Bruto) da região. Isso, ao lado da questão educacional, é um componente importante na dinâmica econômica da região”, explicou o deputado.

Entre as propostas apresentadas, a implantação de uma cadeia produtiva do leite e de uma usina de beneficiamento regional deverão ser discutidas no Legislativo e encaminhadas ao Executivo. “O futuro que temos que construir é o do desenvolvimento de forma sustentável”, afirmou o deputado Dr. Érico. Segundo ele, o debate com representantes de instituições de ensino, alunos e professores é ideal, principalmente, para o cumprimento de uma meta global.

“Para erradicar a pobreza é preciso gerar condições e ferramentas, através do desenvolvimento da ciência e da tecnologia, para que haja condições de trabalho nessas áreas de maior adversidade. Os agricultores precisam ter segurança e técnicas de aproveitamento em seu plantio”, declarou Dr. Érico, acrescentando ainda que o desenvolvimento sustentável colabora com áreas como a apicultura, caprinocultura e ovinocultura.

A pró-reitora da UFCG, Ana Célia Athaíde, afirmou que a atuação de frentes parlamentares, em parceria com a população e entidades responsáveis, contribui com a construção do conhecimento. “As universidades e os institutos precisam ser ouvidos e partilhar desse conhecimento produzido na universidade com os atores principais que é o povo. Então, essa frente parlamentar do deputado Buba Germano, estrategicamente bem montada, vindo pra universidade será link pra construir políticas públicas junto ao Governo do Estado”, analisou Ana Célia.

Também participaram da audiência pública a secretária Executiva da Economia Solidária e Segurança Alimentar, Roseane Meira; o presidente da Fapesq, Roberto Germano; o presidente do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), Salomão de Sousa Medeiros; além de representantes da UFPB, IFPB, UEPB, da Unifip, Sebrae, Embrapa, Empaer, da Prefeitura Municipal de Patos, professores e alunos das instituições de ensino superior.

Repórter PB

Destaques