Reunião

Sarampo: Saúde discute manejo clínico e epidemiológico em reunião técnica

O sarampo é uma doença é grave, principalmente em crianças menores de cinco anos, desnutridas e imunodeprimidos.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) vai reunir, nesta sexta-feira (20), às 8h30, representantes da rede de saúde pública e privada, no auditório do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor-PB), com o objetivo de orientar sobre o manejo clínico do sarampo e alinhamento dos fluxos assistenciais. Cerca de 100 profissionais de saúde (da 1ª, 2ª e 3ª Macrorregião) devem participar do evento, entre diretores técnicos de unidades hospitalares, profissionais da assistência e profissionais de vigilância epidemiológica.

Considerando que o sarampo é uma doença infecciosa, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir para complicações e óbitos – principalmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade – a SES reforça a necessidade de implementação de ações integradas entre a atenção primária, atenção especializada e a vigilância epidemiológica no manejo clínico e epidemiológico. É extremamente importante que seja mantida a assistência hospitalar e seguimento da assistência ao usuário suspeito de sarampo.

Sarampo – O sarampo é uma doença é grave, principalmente em crianças menores de cinco anos, desnutridas e imunodeprimidos (pessoas que têm as suas defesas imunológicas fracas e são facilmente contagiadas por vírus ou bactérias). A transmissão do vírus ocorre a partir de gotículas de pessoas doentes ao espirrar, tossir, falar ou respirar próximo de pessoas sem imunidade contra o vírus sarampo. O alerta de complicações vale, principalmente, para bebês e crianças com deficiência de vitamina A, desnutridos, gestantes, imunodeprimidos e adultos jovens entre 20 e 29 anos.

“Todos os casos são prioridade para a Paraíba. A intenção é que todos os municípios estejam com a vigilância ativa com os casos suspeitos e que notifiquem imediatamente, mesmo que esses casos sejam descartados depois. A notificação de caso suspeito de sarampo é obrigatória e deve ser feita às autoridades sanitárias e de vigilância em até 24 horas. Apresentando essa sintomatologia, é importante ir ao posto de saúde mais próximo para receber a devida assistência”, informou a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares.

Dados – Na Paraíba, até a 36ª Semana Epidemiológica terminada em 7 de setembro, foram notificados 108 casos suspeitos de sarampo, em 28 dos 223 municípios. Do total de notificações, três casos foram confirmados, 26 tiveram resultado de sorologia (S1) reagente e/ou indeterminada para sarampo pelo LacenPB e foram enviadas ao Laboratório Fiocruz para retestagem e demais exames complementares, foram descartados 51 casos e 28 seguem em investigação aguardando exames.

Repórter PB

Destaques