Prisões

Grupo criminoso é desarticulado pelas Polícias Civil e Militar no interior da Paraíba

Um quinto integrante, que continua foragido, também já foi identificado e segue procurado.

Em ação conjunta, policiais civis e militares conseguiram, nessa segunda-feira (7), desarticular um grupo criminoso suspeito de promover três dias de assaltos na zona rural de Araçagi. Os policiais conseguiram prender o homem, apontado como líder do grupo e localizar os três adolescentes envolvidos nos crimes. Um quinto integrante, que continua foragido, também já foi identificado e segue procurado.

As informações foram repassadas pelo delegado Hugo Lucena, titular da Delegacia Seccional de Guarabira. Segundo ele, as investigações apontaram que o grupo praticou uma série de assaltos entre os dias três e cinco deste mês, na zona rural da cidade.

Segundo as investigações, os crimes teriam sido comandados por André Pereira da Silva, de 18 anos. Ele foi preso nessa segunda-feira (7). Segundo informações do delegado, os policiais encontraram na casa do preso uma espingarda calibre 28, um simulacro de pistola, um par de luvas e duas jaquetas com estampas camufladas. A Polícia Civil acredita que os materiais tenham sido usados na prática dos crimes.

“André foi preso em flagrante delito por posse ilegal de arma de fogo. A polícia chegou até ele durante a investigação dos crimes e descobriu, ainda, que André teria agido associado a outros quatro indivíduos, sendo alguns menores de idade”, declarou o delegado.

Os três adolescentes apontados nas investigações já foram identificados e ouvidos por policiais civis. Eles têm idades de 14 e 17 anos. Segundo o delegado, os adolescentes confirmaram a participação nos crimes, mas não ficaram apreendidos, por conta do prazo legal. “Após serem ouvidos, foram entregues aos seus pais, por não mais haver situação de flagrante”, declarou o delegado.

O último suspeito de integrar o grupo também já foi identificado. Ele tem mais de 18 anos, mas ainda permanece procurado pela polícia. “As investigações irão continuar. Todos responderão a procedimento policial”, destacou o delegado.

Repórter PB

Destaques