Artesanato

Seap-PB implanta novo projeto de reinserção social com reeducandos de Solânea

O gerente da Ressocialização, João Rosas, explicou, por sua vez, que esse projeto, além da reinserção social, identifica as habilidades artesanais dos reeducandos.

"Tecendo a Liberdade" é o nome do novo projeto implantado no sistema penitenciário – com ênfase no artesanato – que tem o objetivo de contribuir com o processo de reinserção social dos reeducandos da Paraíba. A ação, realizada pela Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), por meio da Gerência de Ressocialização, vem beneficiando apenados da Cadeia Pública da cidade de Solânea, visando um melhor aproveitamento das qualidades identificadas neles e auxiliando-os na preparação de uma boa qualificação, bem como oportunizando uma futura profissão.


O secretário da Administração Penitenciária, Sérgio Fonseca, disse que esse é um projeto que visa fomentar o artesanato, desenvolver competências empreendedoras e contribuir com o processo de reinserção social da população penitenciária no estado da Paraíba.  "Estamos empenhados em ampliar todas as redes que fomentem não só a aptidão do reeducando, mas a oportunidade que terá, com o desenvolvimento dessas habilidades, de criarem um mecanismo que promova uma profissão para seu futuro", reforçou.

O gerente da Ressocialização, João Rosas, explicou, por sua vez, que esse projeto, além da reinserção social, identifica as habilidades artesanais dos reeducandos. “Tecendo a Liberdade é um projeto que consiste na produção de cachecóis tricotados em Lã e a produção envolve, inicialmente, 12 reeducandos da Cadeia Pública de Solânea, cidade que faz parte do programa "Caminhos do Frio" no Estado da Paraíba e em breve as peças serão comercializadas e enviadas para todo o Brasil”, comentou.

João Rosas adiantou que em breve outras unidades penais farão parte do projeto e também estão localizadas nas cidades que fazem parte do Caminho do Frio, que inclui Areia, Pilões, Remígio, Alagoa Grande, Alagoa Nova, Matinhas, Serraria e Bananeiras.

Repórter PB

Destaques