Greve

Servidores de Pocinhos que recebem acima do mínimo e os que não têm PCCR encerram terceira semana de paralisações

Categoria pode entrar em greve por tempo indeterminado

Os servidores públicos do município de Pocinhos que recebem acima do mínimo e os que não possuem Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), encerraram nesta quinta-feira, 13, a terceira semana de paralisações, definidas em assembleia pela categoria para terças, quartas e quintas-feiras e que começaram no dia 21 de agosto.

Entretanto, de acordo com a diretora do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab) em Pocinhos, Cilene Sales, o prefeito Cláudio Chaves segue ignorando os trabalhadores, apesar dos vários ofícios já encaminhados pelo sindicato, solicitando audiência para discutir os problemas dos efetivos. "Os trabalhadores caminham para um greve, por tempo indeterminado, em decorrência do descaso da gestão. Estaríamos completando a quarta semana de paralisação, mas por conta de uma fiscalização do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica, o PMAQ, os servidores não puderam manter o calendário em uma delas", disse.

Segundo a diretora, as reivindicações incluem também o congelamento nos salários dos profissionais de nível superior, que recebem R$ 1.070 há mais de sete anos e as condições de trabalho precárias, como a falta de segurança nos órgãos públicos, expondo os servidores a situações de risco constantemente.

Cilene ressaltou mais uma vez o desrespeito da Prefeitura. “Até o presente momento, o prefeito não se posicionou, demonstrando total desinteresse pelos trabalhadores. Pedimos a compreensão e o apoio da população porque esta luta é de toda a sociedade”, disse.

Repórter PB

Destaques