João Pessoa

Primeira-dama participa de ato público em apoio às pessoas com deficiência

O ato, chamado "Abraço Solidário", foi realizado na Praia de Cabo Branco, em João Pessoa, como resposta a um movimento de alguns moradores que se dizem incomodados com a presença de deficientes físicos.

A primeira-dama do Estado, Ana Maria Lins, participou, na manhã deste sábado (24), de um Ato Público pela inclusão da pessoa com deficiência. O ato, chamado "Abraço Solidário", foi realizado na Praia de Cabo Branco, em João Pessoa, como resposta a um movimento de alguns moradores que se dizem incomodados com a presença de deficientes físicos que participam de projetos desenvolvidos pelo Governo do Estado e pela Prefeitura da Capital.

Na ocasião, Ana Maria Lins destacou a importância do repúdio de toda sociedade ao preconceito contra os deficientes físicos que participam de projetos de inclusão social na orla de Cabo Branco. "Essa atitude é desumana e desrespeitosa, e exige o repúdio de todos nós. O Governo do Estado desenvolverá meios para fortalecer ainda mais esses projetos de inclusão social da pessoa com deficiência", afirmou.

Já a secretária de Estado do Desenvolvimento Humano, Neide Nunes, lembrou que a Paraíba é o segundo Estado do País em número de pessoas com deficiência. "Esse Ato Público, com ampla participação da sociedade, mostra que a Paraíba não aceita esse tipo de atitude preconceituosa. A Secretaria de Desenvolvimento Humano recebe todo o apoio do Governo do Estado para desenvolver todas as ações que tenham como objetivo incluir socialmente a pessoa com deficiência, a exemplo do Projeto Natação no Mar, que ocorre nesta orla de segunda a sexta", ressaltou.

Participaram ainda do Ato Público a presidente da Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência (Funad), Simone Guimarães; o secretário de Estado da Cultura, Damião Ramos Cavalcanti, entre outras autoridades.

Contra o preconceito - O Ato Público realizado na orla de Cabo Branco neste sábado ocorreu como resposta a um grupo de moradores que teria procurado a Câmara Municipal de João Pessoa para acabar com o Projeto Acesso Cidadão, realizado pela Prefeitura da Capital com o apoio do Governo do Estado desde 2012.

O movimento reuniu centenas de pessoas que defendem a inclusão da pessoa com deficiência, além de representantes de entidades de classe, a exemplo da Ordem dos Advogados do Brasil na Paraíba (OAB-PB) e do Fórum Paraibano da Pessoa com Deficiência.

Josenilda Lira teve paralisia infantil aos cinco anos de idade. Ela agradeceu o apoio recebido da sociedade paraibana. "Essas atitudes preconceituosas não deixam de nos entristecer, mostrando que ainda existem pessoas que acham que a inclusão tem de acabar. Mas, ao mesmo tempo que nos deixa tristes, nos fortalece ainda mais para lutar e evitar que isso aconteça", comentou.

Repórter PB

Destaques