Votação

Comissão da Eleição do Conselho Tutelar destaca pleito como transparente e conforme normas do MPPB e CMDCA, em Sousa

Conforme as responsáveis pela Comissão Organizadora, a eleição foi transparente e de acordo com as normas do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

Um dia dedicado ao futuro das crianças e dos adolescentes. Foi realizada no último domingo 06/10, no Campus Centro da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), a eleição para o Conselho Tutelar de Sousa. Foram eleitos 5 conselheiros titulares e seus suplentes. A Comissão Organizadora foi formada por Isabelle Cristina Martins de Oliveira (Presidente), Kátia Cilene Marques de Sá (membro da Comissão), Andrea Dantas Ribeiro (membro da Comissão), Juliana Dantas de Almeida (membro da Comissão). Servidores de todas as secretárias trabalharam no dia do pleito.

Os candidatos eleitos foram Rossana Marques – 429 votos, Ivaneide Mariz – 352 votos, Elisângela Aragão – 347 votos, Pablo Facundo – 338 votos e Alan Araújo – 335 votos, terão mandatos de 2020 a 2024.

Conforme as responsáveis pela Comissão Organizadora, a eleição foi transparente e de acordo com as normas do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). A demora para votar em algumas seções foi devido à pouca quantidade de urnas que foram disponibilizadas para um grande número de eleitores que participaram do pleito de 2019.

“O trabalho desempenhado pela Comissão Organizadora foi finalizado com êxito e dentro dos padrões exigidos. Organizamos toda a programação e treinamento dos presidentes de Seção e mesários. Tudo aconteceu em parceria com Ministério Público da Paraíba. Nosso objetivo foi alcançando, já que o promotor de Justiça, Manoel Pereira de Alencar, ficou bastante satisfeito com nosso trabalho. As urnas que foram disponibilizadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB) não foram suficientes, sendo assim, foi gerado uma demora em algumas seções”, descreveu Isabelle Cristina de Oliveira.

Ainda conforme a presidente da Comissão Organizadora, as ocorrências foram inclusas em um relatório que foi entregue ao Promotor de Justiça. “Tivemos apenas um registro. O MP receberá todas as informações detalhadas. Agradeço aos servidores que se dedicaram, ao promotor de Justiça Manoel Pereira e a todos os eleitores que se dedicaram ao ato de cidadania”, disse Isabelle Cristina de Oliveira.

Repórter PB

Destaques