Missão

Paraíba tem grupamento policial especializado no combate às quadrilhas de ataques bancos

O GEOsAC é responsável também pela difusão da doutrina das atividades de operações em área rural nos biomas existentes na Paraíba.

Enfrentar grupos criminosos responsáveis por ataques a bancos. Essa é a missão do Grupamento Especializado de Operações em Área de Caatinga (GEOsAC) da Polícia Militar, que com treinamento constante e orientação da Coordenadoria de Inteligência da PM (COInt), tem dado respostas imediatas aos crimes contra instituições financeiras no estado.

A última atuação do GEOsAC teve desfecho no sábado (19) e resultou na recuperação de parte do dinheiro roubado no ataque ao banco do Brasil de Coremas e na apreensão de um arsenal composto por fuzis e espingardas. O material estava com um grupo criminoso formada por sete homens, que entraram em confronto com os policiais, na cidade de Catingueira.

Em junho, na cidade Areia, oito suspeitos que entraram na cidade para atacar bancos e aterrorizar a população foram surpreendidos pelo GEOsAC e tiveram os planos frustrados. Também houve intensa troca de tiros e foram apreendidas uma submetralhadora, uma pistola, dois revólveres, uma carabina, uma espingarda e até uma serra elétrica que os criminosos usaram para derrubar árvores no acesso ao município.

A tropa foi criada pelo comandante-geral da PM, coronel Euller Chaves, para atuar em ocorrências de alta complexidade em áreas urbanas e rurais, principalmente contra organizações e associações criminosas responsáveis por ataques a bancos e narcotráfico. Com sede no Agreste paraibano, sua atuação é em todo o Estado. O GEOsAC é responsável também pela difusão da doutrina das atividades de operações em área rural nos biomas existentes na Paraíba.

Desde 2017, quando foi criado o GEOsAC, já foram realizados três Cursos de Operações e Sobrevivência em Área de Caatinga e dez Estágios de Patrulha Rural, com a capacitação não só de policiais paraibanos, mas também dos estados da Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte, Alagoas, Ceará, Paraná, além de policiais civis, rodoviários federais e também da Polícia Nacional do Paraguai. Magistrados, promotores de Justiça, militares do Exército Brasileiro e policiais penais também participaram de capacitações no GEOsAC.

Efetivo diferenciado – Para fazer parte do GEOsAC, os policiais passam pelo Curso de Operações e Sobrevivência em Área de Caatinga e são submetidos a uma análise curricular que faz a triagem sobre o perfil exigido para atuar no grupamento. A tropa possui uniforme diferenciado para operar em terrenos áridos, com camuflagem especial para o campo de atuação.

Repórter PB

Destaques