Campina Grande

MPPB constata precariedade em guaritas do Serrotão e cobra providências

Uma reunião foi agendada para a próxima terça-feira (27/08) com o comandante-geral da PM, coronel Euller Chaves.

O Ministério Público da Paraíba requisitou do Comando Geral da Polícia Militar do Estado informações sobre o contingente policial designado para atuar nas guaritas do Complexo do Serrotão, em Campina Grade, bem como as escalas de plantão e horários. A requisição foi feita pelo promotor das Execuções Penais de Campina Grande, Otacílio Machado Cordeiro ao comandante-geral, coronel Euller Chaves.

Segundo o promotor, em inspeção realizada no final de julho, foi constatado que, das 18 guaritas existentes no Complexo do Serrotão, apenas oito estão em operação e em estado precário, pondo em risco a segurança do presídio, dos agentes penitenciários, dos policiais militares e da população do entorno.

Em relação à Penitenciária Raymundo Asfora, que integra o complexo e abriga 1209 apenados, apenas quatro das oito guaritas funcionam. Além disso, foi verificado número insuficientes de agentes penitenciários e contingente policial.

Uma reunião foi agendada para a próxima terça-feira (27/08) com o comandante-geral da PM, coronel Euller Chaves.

Secretaria

O promotor Otacílio Cordeiro também requisitou que o secretário de Administração Penitenciária, tenente coronel Sérgio Fonseca, informe sobre o funcionamento e tomada de providências para revitalização das guaritas de segurança do Complexo Penitenciário do Serrotão.

Repórter PB

Destaques