Sousa/PB -
Assistência Especializada

Centro de Doenças Raras já realizou mais de 600 atendimentos para diagnóstico de crianças autistas

Desde então, já foram atendidas 611 crianças com idades entre dois e sete anos e emitidos 475 laudos confirmando o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Da Redação Repórter PB

11/02/2024 às 08:15

Imagem 600 atendimentos para diagnóstico de crianças autistas

600 atendimentos para diagnóstico de crianças autistas ‧ Foto: Divulgação

Tamanho da fonte

Há pouco mais de um ano, a Prefeitura de João Pessoa, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ampliou a assistência para crianças com o espectro autista. Isso foi possível por meio da implantação do serviço Diagnóstico do Transtorno no Centro de Referência Multiprofissional de Doenças Raras, para atender crianças na primeira infância. Desde então, já foram atendidas 611 crianças com idades entre dois e sete anos e emitidos 475 laudos confirmando o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

“Com o serviço, a Prefeitura ampliou a assistência para crianças com o espectro autista, que antes precisavam aguardar até um ano para receber o diagnóstico, diminuindo uma fila de espera de mais de três mil crianças que dependiam de atendimento em apenas dois serviços, sendo o CER II - Centro de Referência Municipal de Inclusão da Pessoa com Deficiência (CRMIPD) e a Funad, referência estadual”, explica a coordenadora do Centro de Doenças Raras, Saionara Araújo.

Uma das crianças atendidas pelo serviço foi Antony, de três anos. Para Joyce Rayanne, mãe do menino, o laudo trouxe alívio e garantias. “Desde que recebemos o diagnóstico do autismo ficou mais fácil cuidar dele, entendendo as limitações e sabendo do que ele precisa e como precisa ser feito, apesar do peso que o transtorno traz para a criança e a família, foi um alívio poder dar um nome ao que realmente ele tem”, comentou.

No Centro de Doenças Raras, as crianças passam pela avaliação diagnóstica com uma equipe multiprofissional formada por psicólogo clínico (especialista em avaliação neuropsicológica), médico neurologista, enfermeira e assistente social.

“A importância dessa atividade pelo núcleo de apoio aos laudos de autistas é imensurável, uma vez que sem o laudo não é possível iniciar as terapias complementares nem o tratamento adequado, o que dificulta, consideravelmente, a vida das crianças como também das famílias dos mesmos, além de inviabilizar o acesso ao benefício que lhes é de direito”, destaca Saionara Araújo.

Para ser atendido, é preciso realizar o agendamento diretamente com o Centro, através do telefone 3213-7620. O atendimento acontece todas as quintas-feiras, das 7h às 17h. No primeiro momento, a criança passará pela avaliação da equipe multiprofissional e, na semana seguinte receberá, através do serviço social, o laudo e as orientações sobre a assistência a seguir.

Centro – O Centro de Referência Municipal de Inclusão da Pessoa com Deficiência oferece assistência especializada para crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), tanto diagnóstico quanto acompanhamento com equipe multidisciplinar composta por profissionais de fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, psicopedagogia, psiquiatria, neuropediatria, arteterapia, musicoterapia, educação física e clínico geral.

Para ter acesso ao serviço, é necessário ter de zero até 18 anos de idade e residir em João Pessoa. Caso a criança já tenha o laudo de TEA, o responsável por ela deve agendar a triagem, realizada por uma equipe multiprofissional, que indicará os atendimentos e terapias mais adequadas para o usuário.

Nos casos em que a criança ainda não foi diagnosticada, o responsável deve agendar uma avaliação para a emissão do laudo. Sendo identificado o TEA, através deste laudo, a criança ou adolescente é encaminhada para a triagem e, em seguida, para os atendimentos.

O agendamento pode ser realizado por meio do telefone 3218-9807 ou pessoalmente. O serviço está localizado na Avenida Otto Feio da Silveira, 161, Pedro Gondim, e funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. No momento do agendamento, o responsável deve apresentar cópia dos documentos da criança ou adolescente: RG, CPF, comprovante de residência e o laudo (caso já possua).

Fonte: Repórter PB

Ads 728x90

QR Code

Para ler no celular, basta apontar a câmera

Comentários

Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através do Repórter PB, não reflete a opinião deste site ou de seus autores e é de responsabilidade dos leitores que publicam.