Palmeirenses

Organizada do Palmeiras protesta contra preços dos ingressos da final da Libertadores

O torcedor que estiver interessado em adquirir uma entrada para a grande decisão terá que desembolsar, pelo menos, 200 dólares, cerca de R$ 1.100 na cotação atual, valor do salário mínimo brasileiro.

Nesta terça-feira, a Mancha Alvi Verde publicou nota em que repudia os preços dos ingressos da final da Libertadores, que será disputada entre Palmeiras e Flamengo no dia 27 de novembro, às 17h, no Estádio Centenário.


O torcedor que estiver interessado em adquirir uma entrada para a grande decisão terá que desembolsar, pelo menos, 200 dólares, cerca de R$ 1.100 na cotação atual, valor do salário mínimo brasileiro.

A organizada do Verdão destaca que o poder aquisitivo do torcedor brasileiro é inferior ao do europeu, lembrando também do impacto que a pandemia teve na economia. Para a Mancha, “a final é para a elite”. A publicação ainda diz que o “Palmeiras tem a obrigação de brigar por sua torcida, pois sabe da nossa importância em um jogo desse tamanho”.

Veja a nota da organizada na íntegra:

“Na Libertadores do ano passado, o Palmeiras foi campeão depois de 20 anos sem chegar na final do torneio e, devido a pandemia, apenas convidados puderam acompanhar o jogo no Estádio do Maracanã.

Menos de um ano depois, uma nova final de Libertadores e, com a pandemia controlada, a expectativa de ir até o estádio e poder acompanhar o jogo em Montevidéu, mas agora, outra barreira: os valores abusivos dos ingressos.

A Conmebol divulgou hoje que o preço MÍNIMO para a final será de US$ 200, cerca de R$ 1100,00, mesmo valor do salário mínimo no Brasil, e sem levar em conta outros gastos que o torcedor tem.

AMÉRICA DO SUL NÃO É EUROPA

O valor mínimo para a final da última Champions League, entre dois times ingleses, foi de € 70, mas o salário mínimo na Inglaterra é de € 1350.

É inadmissível que um torneio da América do Sul, com países de poder aquisitivo baixo, países de terceiro mundo, onde a fome impera, tenha esse custo para o torcedor. Não podemos esquecer também do reflexo da pandemia, que deixou parte da população em situação financeira ainda pior.

O Palmeiras tem a obrigação de brigar por sua torcida, pois sabe da nossa importância em um jogo desse tamanho.

Essa final é para a elite, mas não vão conseguir nos tirar do estádio, não dessa vez.

ESTAREMOS LÁ, VOCÊS QUERENDO OU NÃO!”

Gazeta Esportiva

Repórter PB

Destaques