Confronto

Invictos no Paraibano, Índio e Ranielle travam duelo à parte na grande decisão

Treinadores de Dinossauro e Raposa buscam o título da elite do futebol da Paraíba pela primeira vez. Final começa nesta quinta-feira, em Campina Grande, e termina no domingo, em Sousa.

Vai começar a disputa da final do Campeonato Paraibano 2021. Sousa e Campinense vão medir forças em dois confrontos, o primeiro já nesta quinta-feira, às 16h, no Estádio Amigão, em Campina Grande, enquanto o segundo é no domingo, às 10h, no Marizão, em Sousa. A finalíssima vai reunir dois treinadores que ainda estão invictos no estadual e buscam o troféu da 1ª divisão da Paraíba pela primeira vez em suas carreiras. É Índio Ferreira dirigindo Dinossauro em busca do tricampeonato e Ranielle Ribeiro no comando de uma Raposa que luta pela 21ª conquista.


Índio Ferreira - Sousa

Josué Ferreira Filho, ou simplesmente Índio Ferreira. O ex-jogador de Flamengo, Palmeiras, Juventude e Coritiba é técnico há vários anos. Somente na Paraíba, ele já comandou seis times, sendo campeão da 2ª divisão do Campeonato Paraibano em 2016, pelo Internacional-PB, e vice na temporada 2019, quando levou o São Paulo Crystal à elite do estado.


Aos 46 anos, Índio vive a expectativa de coroar a sua passagem ainda mais, conquistando a 1ª divisão do estadual paraibano pelo Sousa, clube que venceu apenas duas vezes a competição em sua história de quase 30 anos.

Esta é a segunda passagem de Índio Ferreira pelo Sousa, a primeira foi no ano de 2017, quando comandou a equipe na Série D do Campeonato Brasileiro. Nesta temporada, o técnico assumiu o time depois da saída de Paulo Schardong, na quinta rodada do Campeonato Paraibano.

É justo dizer que o Dinossauro já vinha bem com o antigo comandante, que pediu demissão após a quarta rodada, quando estava na terceira posição. Contudo, com Índio Ferreira, o Sousa seguiu com um bom rendimento, assumiu a ponta da tabela e venceu a semifinal por 1 a 0 sobre o São Paulo Crystal.

Mirando o título para acrescentar no currículo, Índio é só orgulho com a campanha no comando do Sousa. Ele ressaltou que, se somar a vitória sobre o São Paulo Crystal na semifinal, a equipe já somou 19 pontos, com seis vitórias, um empate e apenas uma derrota.

Eu me sinto muito feliz em disputar uma final de 1ª divisão, já que, em 2016, eu comandei o Internacional-PB na 2ª divisão, em que conseguimos vencer, e em 2019, pelo São Paulo Crystal, quando perdemos a final, mas conquistamos o acesso. Agora é a primeira final na 1ª divisão, que chegamos com muito mérito, com a melhor campanha do estadual, somando 19 pontos se contarmos a vitória na semifinal. Isso tem mexido muito comigo, porque é uma afirmação do nosso trabalho. Esse é o nosso grande objetivo — Índio Ferreira.

No Sousa, o principal destaque é realmente o sistema defensivo, liderado pelo goleiro Ricardo. Em oito jogos disputados, o time foi vazado apenas uma vez, na estreia contra o Botafogo-PB. No ataque, foram seis gols marcados, conseguindo vitórias importantes que credenciam o time a disputar a finalíssima.

Números de Índio Ferreira pelo Sousa no Paraibano:

4 jogos (4V 0E 0D)

100% de aproveitamento

5 gols marcados

nenhum gol sofrido

Ranielle Ribeiro - Campinense

Na campanha do Campinense, Ranielle Ribeiro é o grande destaque, pelo menos junto com o goleiro Mauro Iguatu. O treinador assumiu o comando da equipe a partir da segunda rodada, após a passagem veloz e infeliz de Ederson Araújo, que dirigiu o time rubro-negro em duas derrotas, uma goleada de 7 a 1 na Copa do Brasil para o Bahia, e uma na estreia do Campeonato Paraibano, quando perdeu por 2 a 1 para o São Paulo Crystal.


Ranielle Damaceno Ribeiro é potiguar de Natal, tem 41 anos e uma trajetória longa no futebol. Antes de se tornar técnico, ele atuava como preparador físico, em que atuou nas três principais equipes da Paraíba: Botafogo-PB, Campinense e Treze. No entanto, no cargo em que se consolidou, a Raposa é a sua primeira casa em solo paraibano.

Bicampeão potiguar pelo ABC, em 2016 e 2018, Ranielle Ribeiro sente novamente o gostinho de chegar a final de campeonato estadual. Pelo Elefante, o comandante ainda era um jovem na nova função, aquelas conquistas marcaram o início da trajetória. Já no Campinense, chegar ao confronto final é a consolidação de uma carreira, demonstrando a maturidade em gerir um grupo que estava desacreditado.

Para Ranielle, chegar à final do Paraibano tem muito do mérito dos jogadores, que assimilaram as ideias implementadas pela comissão técnica e conseguiram ganhar confiança para se reabilitar na temporada.

Quando você consegue chegar a uma final de campeonato, você conseguiu cumprir grande parte do seu objetivo. A conquista é que realmente consolidada e justifica que os objetivos foram alcançados. O planejamento foi bem executado, e o sentimento é muito bom. Quem vive de competição sabe o quanto é prazeroso chegar à decisão. Você faz uma retrospectiva e percebe o quanto foi difícil chegar. O que fica é uma história bem bacana, porque não iniciamos bem a competição, mas os atletas conseguiram reverter toda a situação — Ranielle Ribeiro.

Dono da terceira melhor campanha da primeira fase, o Campinense é um time equilibrado e competitivo, que conseguiu ter um nível bom sob o comando de Ranielle Ribeiro. Inclusive, o conjunto vinha se destacando mais do que um nome individual. Isso, pelo menos, até a chegada de Mauro Iguatu ao gol. Com o novo camisa 1, a Raposa cresceu, sendo capaz de superar duas disputas por pênaltis, uma contra o Atlético-PB, na repescagem, e outra contra o Botafogo-PB, na semifinal.

Números de Ranielle Ribeiro pelo Campinense no Paraibano:

8 jogos (3V 5E 0D)

58,3% de aproveitamento

8 gols marcados

5 gols sofridos

Nesta quinta-feira, o duelo de treinadores invictos vai começar a decidir o Campeonato Paraibano 2021. A primeira partida da finalíssima está marcada para o Estádio Amigão, em Campina Grande, às 16h. O segundo confronto vai ser no domingo, às 10h, no Estádio Marizão, em Sousa. Vale marcar de vez o nome na história.

Com Globo Esporte PB

Repórter PB

Destaques