Campeonato Paulista

Corinthians se recusa a fazer exames da Covid-19 antes das finais e acusa Palmeiras de quebrar isolamento

Clube alega em reunião com a FPF que está concentrado desde a volta do futebol e por isso não precisa realizar testes; Verdão é contra

O Corinthians se recusou a fazer exames da Covid-19 antes das finais do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras, marcadas para quarta-feira, às 21h30, em Itaquera, e sábado, às 16h30, na arena do rival.

A manifestação do presidente Andrés Sanchez aconteceu durante a reunião com o presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro Bastos, e o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, nesta segunda-feira.

Horas depois, o clube soltou nota oficial sobre o assunto (leia abaixo) e disse que, ao contrário do Palmeiras, manteve seus atletas em confinamento. A diretoria alviverde ainda não se manifestou oficialmente.

A alegação do Corinthians é de que o elenco está concentrado no CT Joaquim Grava desde a autorização para o retorno do futebol e que, por isso, não há necessidade de realizar novos exames.

O Palmeiras se posicionou contra a decisão do Corinthians e manteve o planejamento de testar o grupo de jogadores na terça e na sexta-feira, vésperas dos jogos. O Verdão tem liberado seus jogadores após as partidas.

Na semana passada, o hospital Albert Einstein errou em 26 exames feitos pelo Bragantino, que enfrentaria o Corinthians na semifinal. Jogadores e integrantes da comissão técnica testaram positivo. A contraprova, porém, deu negativo.

Leia nos trechos abaixo o que diz que protocolo:

"O protocolo prevê que todos os 16 clubes fiquem concentrados em locais previamente definidos e preparados durante todo período de jogos da competição. Isso permite maior controle das variáveis por serem grupos fechados e previamente testados, sob maior supervisão.

Antes dos jogos, serão medidas as temperaturas corporais de todos que acessarem os estádios. Caso a temperatura aferida seja acima do considerado normal, o colaborador ou prestador de serviço deverá retornar para orientação médica".

Leia a nota oficial do Corinthians:

O Sport Club Corinthians Paulista vem a público esclarecer as informações equivocadas veiculadas na imprensa sobre a realização dos testes de Covid-19 em seus atletas.

Conforme o protocolo elaborado pela Federação Paulista de Futebol e seu comitê médico, aprovado e exigido pelo Governo do Estado de São Paulo, Prefeitura de São Paulo e prefeituras de todas as cidades dos clube participantes, o Corinthians cumpriu o confinamento de seus atletas e comissão técnica, seguindo à risca o acordo, diferentemente da Sociedade Esportiva Palmeiras que descumpriu e liberou seus atletas depois de cada partida, o que nunca foi permitido.

No SCCP, além dos atletas e da comissão, também seguem o mesmo protocolo de confinamento na concentração todos os funcionários envolvidos nas atividades diárias do Centro de Treinamento. Além disso, o Clube realizou duas baterias de exames durante esse período.

Prezando a saúde desde o início da pandemia, o Corinthians zela pelos cuidados de seus atletas e colaboradores e, por isso, mantém sua delegação em confinamento há 14 dias, período este em que todos estão privados do convívio de suas famílias. Não aceitamos que o ônus da irresponsabilidade seja transferido para quem cumpriu todos esses requisitos.

A Federação Paulista de Futebol deixará a cargo do diretor médico da entidade, Moisés Cohen, a decisão sobre a exigências dos exames. Procurado pela reportagem, ele não atendeu aos telefonemas.

O protocolo de conclusão do Paulistão não fala em obrigatoriedade dos exames, mas cita grupos "previamente testados". Além disso, exige que os elencos fiquem concentrados para maior controle.

A diretoria do Timão ressalta ainda que nenhuma tentativa de tumultuar o ambiente será admitida e repudia a prática que se repete há três anos, quando a equipe chegou às finais do Estadual consecutivamente.

Com o Globo Esporte. 

Repórter PB

Destaques