Volante

Nilton recorda o dia em que marcou golaço pelo timão contra o Santos

Apesar de Fábio Costa ter trabalhado com Nilton em 2005, no Corinthians, o goleiro não botou muita fé na possibilidade de ser surpreendido.

Em 2007, Nilton tinha 20 anos de idade, estava começando a ter oportunidade no time profissional do Corinthians em meio a uma crise interna tremenda. Mesmo assim, o volante mostrou personalidade e protagonizou um lance que é lembrado até hoje.

O gol em cima do Santos após uma cobrança violenta de falta da intermediária foi o cartão de visitas do jogador que agora, aos 32 anos, já acumula três títulos de Campeonato Brasileiro e uma Copa do Brasil na conta.

“Até eu tinha certeza que ia perder aquele jogo. O time dos caras era muito bom”, admitiu Nilton, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

“Quando saiu aquela falta… Eu tinha treinado um dia antes aquela batida, o dia todo. Era o Marcelo o goleiro e ele falou: ‘Você não sabe a força que você tem. Tira um pouco da força e coloca mais precisão, porque não tem goleiro que pegue. Quando saiu a falta, o Vampeta já veio, deu a bola para mim e disse: ‘Você vai cobrar!’. O Velho Vamp falando que quem vai cobrar sou eu, olhei para o lado e falei: ‘Beleza’”

Apesar de Fábio Costa ter trabalhado com Nilton em 2005, no Corinthians, o goleiro não botou muita fé na possibilidade de ser surpreendido.

“Quando vi só o Kléber (Pereira) na barreira e vi ele no lado oposto, parado, pensei: ‘Vou sentar o pé em cima do Kléber, a bola vai fazer curva e chegar quente, o Fábio (Costa) vai ter de espalmar para escanteio, dar rebote…’”.

“Mas, foi uma folha seca. Na hora que ela resvalou no travessão e entrou, rapaz, até eu falei comigo mesmo: ‘C…, que paulada! (risos)’”.

“Na saída, eu passei no túnel com o Fábio Costa e falei para ele: ‘Você colocou só um (na barreira)’. Ele disse: ‘Que chute foi aquele, rapaz?’ (risos)”.

O Corinthians acabou vencendo por 2 a 0. O boliviano Arce fechou o placar. À época, o resultado findou um jejum de quatro partidas do Timão. O triunfo no clássico deixou a equipe cinco pontos acima da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, enquanto o Peixe, quinto colocado na ocasião, viu uma sequência de três vitórias seguidas ser interrompida.

Além do gol, Nilton ainda sofreu a falta de gerou a expulsão de Adaílton. Depois daquilo, porém, o jovem volante precisou se afastar dos campos por um bom tempo.

“O que me atrapalhou um pouco foi a lesão. Joguei contra o Santos e no jogo seguinte, contra o América, tive de parar, sofri uma lesão séria no ligamento do joelho”.

 

Repórter PB

Destaques