Coronavírus

Presidente de Tóquio 2020 diz que é "improvável" ter Olimpíadas na primavera

Fala de Yoshiro Mori acontece depois de a imprensa japonesa noticiar que os Jogos poderiam ocorrer em abril por causa das altas temperaturas no verão.

Nesta sexta-feira, alguns meios de comunicação do Japão publicaram que a Olimpíada de Tóquio, que foi adiada para o ano que vem por conta da pandemia de coronavírus, ocorrerá no primeiro semestre, provavelmente em abril, para que os atletas fujam das altas temperaturas de julho. Entretanto, o presidente do Comitê Organizador, Yoshiro Mori, disse em uma aparição na TV que essa data seria "improvável" e que a tendência é que o megaevento ocorra mesmo no verão que, no país nipônico, vai de 21/06 a 23/09.

- Eu quero trazer algumas conclusões até o fim da próxima semana. Os Jogos foram feitos para acontecer no verão, então devemos pensar em algo entre junho e setembro - disse em uma transmissão da Nippon Television, ignorando o fato de que, recentemente, algumas edições foram realizadas em meses mais apropriados, como a própria que aconteceu em Tóquio em 1964, que foi no mês de outubro.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) ainda não oficializou a data dos Jogos, mas deixou claro que o martelo será batido em breve. Há uma reunião prevista para segunda-feira. Uma fonte do site japonês "Mainichi" afirmou que a data final chegará em três semanas.

Mori disse que há problemas logísticos para que os organizadores troquem o verão, por causa das altas temperaturas, pela primavera, que vai de 13/03 a 21/06. Realizar as Olimpíadas de junho a setembro, segundo ele, daria mais tempo para garantir voluntários e montar eventos qualificatórios.

- É melhor para a preparação se dermos mais tempo - completou.

No mês de julho, data em que os Jogos seriam realizados em 2020, as temperaturas são altíssimas em Tóquio, passando dos 35ºC. Com a competição antecipada, algo que foi classificado como "improvável" pelo presidente do Comitê Tóquio 2020, os termômetros dificilmente passariam de 30ºC, facilitando a vida dos competidores. Importante lembrar que a maratona olímpica estava prevista para Sapporo, cidade a mais de 850km da capital, por conta do calor.

No início da semana, o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, deixou bem aberto o período dos Jogos no ano que vem:

- O acordo é que queremos organizar esses Jogos Olímpicos o mais tardar no verão de 2021. Isso significa que a força-tarefa pode considerar o cenário mais amplo e isso não se restringe apenas aos meses de verão - disse no início da semana.

No hemisfério norte, a primavera começa em março e vai até junho, enquanto o verão começa em junho e termina em setembro. Outra informação importante, ainda não oficializada, mas noticiada nos meios de comunicação dos Estados Unidos, é que os atletas que já estão classificados para a Olimpíada vão manter suas vagas para 2021. E as vagas restantes serão disputadas em torneios pré-olímpicos, ainda não agendados.

A previsão de Tóquio 2020 era de que 11 mil atletas, de pelo menos 204 países, disputassem os Jogos, distribuídos por 33 esportes. Se não bastasse esse contingente de pessoas, o COI e o Comitê Organizador do Japão tinham por estimativa que as provas recebessem até cinco milhões de espectadores de todo o mundo, nos 43 locais de disputas.

População aprova adiamento

Uma pesquisa divulgada neste sábado pela agência "Kyodo News" reforçou que 78,7% da população japonesa acredita que o adiamento dos Jogos Olímpicos por um ano devido à pandemia do coronavírus foi uma decisão "apropriada". 11,1% também são a favor de adiar as Olimpíadas, mas preferiam que o megaevento fosse em 2022, não em 2021, conforme decidiu o COI juntamente com o governo do Japão e o Comitê Tóquio 2020.

Com Globo Esporte

Repórter PB

Destaques