Culpa do Rival

Contratação de Tchê Tchê pelo São Paulo inspira Dínamo e atrapalha o Corinthians

A diretoria do clube do Morumbi aceitou pagar cerca de 5 milhões de euros (R$ 22,05 milhões) para repatriar um atleta que estava praticamente encostado.

O São Paulo anunciou em 1º de abril deste ano a contratação de Tchê Tchê. Antes de estrear com a camisa tricolor, o volante havia feito apenas uma partida em 2019 pelo Dinamo de Kiev, clube da Ucrânia que o contratou na janela de transferências anterior. Aliás, ao todo, foram apenas 16 jogos pelo Dínamo.

A diretoria do clube do Morumbi aceitou pagar cerca de 5 milhões de euros (R$ 22,05 milhões) para repatriar um atleta que estava praticamente encostado.

A Gazeta Esportiva apurou que o ato são-paulino reflete agora, no Corinthians.

O clube alvinegro pretende contar com Sidcley em 2020, mas, não está disposto a pagar, aproximadamente, os mesmos 5 milhões de euros, pedida do Dínamo pelo lateral.

As pessoas que estão conduzindo as tratativas entendem que o Dínamo espera que o Corinthians, em algum momento, ceda, como o São Paulo fez em abril.

Cientes de que o desejo corintiano por Sidcley não é pequeno, os ucranianos preferem testar a paciência do Corinthians, apostar e correr o risco de seguir gastando com um atleta que sequer tem entrado em campo.

Com esse cenário, a negociação praticamente parou. E dificilmente vai evoluir, se os dirigentes do Dínamo não mudarem o plano.

A janela de transferências na Ucrânia só abre no fim de janeiro. O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, avisou que só pode esperar por Sidcley, pedido de Tiago Nunes, até a primeira quinzena de 2020.

Os ucranianos pagaram 4 milhões de euros em negociação junto ao Athletico Paranaense quando Sidcley defendia o próprio Corinthians, por empréstimo, em 2018, e não aceitam negociar por menos deste valor.

O lateral esquerdo está encostado, sem jogar há seis meses, mas recebendo em dia, inclusive os ‘bichos’ – premiações por vitórias.

Portanto, por que não aceitar a proposta corintiana de empréstimo e valorizar o atleta? O Timão topa arcar com todo o custo mensal de Sidcley, que também já manifestou seu desejo de voltar ao Brasil.

O Dínamo, no entanto, faz jogo duro. Quer uma compensação, mesmo que seja pelo empréstimo. Nesse caso, o valor cairia para 1 milhão de euros, cerca de R$ 4,5 milhões.

Ao perceber que o Corinthians sequer cogita a ideia, o Dínamo acenou com a possibilidade de vender entre 15% e 20% dos direitos econômicos do jogador mediante o pagamento, e assim o emprestaria por uma temporada. Por ora, nada feito.

Internacional, Grêmio e Athetico também já tentaram contratar o jogador e um clube italiano fez uma sondagem recentemente, mas o Corinthians segue como favorito a ficar com o lateral.

Isso se o Dínamo perceber que é praticamente impossível qualquer um dos clubes interessados topar desembolsar tanto dinheiro por Sidcley agora, como o São Paulo topou um dia por Tchê Tchê.

 

Com Gazeta Esportiva

Repórter PB

Destaques