Lateral

Filipe Luís agradece festa da torcida do Flamengo, mas afirma: "Quero que seja depois do jogo"

Em bate-papo com jornalistas, lateral-esquerdo destaca lua-de-mel do time com a torcida e prevê jogo complicado contra o River: "Vai ser completamente diferente do que estamos acostumados"

Depois do primeiro treino em Lima, alguns jogadores do Flamengo falaram com a imprensa em uma zona mista montada no centro de treinamento da seleção peruana. Filipe Luís foi um deles. O lateral-esquerdo destacou a festa feita pela torcida na quarta-feira, no embarque da delegação rubro-negra, mas manteve os pés no chão: ele quer que a comemoração continue após a final da Libertadores.

- É um momento especial que a gente está vivendo. A gente conseguiu fazer com a que torcida esteja do nosso lado, que essa comunhão seja completa. Conseguimos fazer com o que o torcedor se identifique com os jogadores, com a comissão e com todo o clube outra vez. Foi uma demonstração de carinho. Mas eu particularmente tenho os pés no chão. Quero que essa festa seja depois do jogo.

Aos 34 anos, Filipe Luís tem duas finais de Liga dos Campeões no currículo, ambas com a camisa do Atlético de Madrid. Ele acredita que estar acostumado com decisões da Libertadores pode ser uma vantagem para esse time do River Plate.

- A única pequena vantagem que o River pode ter é estar acostumado com finais, jogos importantes. Isso querendo ou não ajuda. Estive na decisão da Libertadores no ano passado. Joguei duas finais de Champions, e na segunda atuei bem melhor por já saber como é porque estava muito mais tranquilo. De resto, é tudo equilibrado - acredita o lateral.

Confira outros pontos da entrevista de Filipe Luís:

Primeiro treino em Lima

- Não foi muito intenso, com bastante sol. Mas foi importante. A semana está sendo bem feita como a gente sempre faz em todos os jogos. Não é porque é final que vai ser diferente. Claro que existe todo um sonho por trás, existem alguns detalhes para serem ajustados. É importante trabalhar com essa tranquilidade, só a gente.

Festa da torcida no Rio

- Foi maravilhoso viver esse momento com os torcedores. Sentimos essa comunhão entre a torcida e nosso elenco, com toda a comissão técnica. Hoje a gente está unido, não existe qualquer tipo de problema. O momento é excelente. Foi uma retribuição deles para a gente. Mas meus pés estão no chão. Como eu falei, o que eu quero é que essa festa continue depois do jogo.

Foco na final

"Se a gente ficar olhando o que o torcedor está fazendo, tudo que isso representa, vai existir tensão. Então é importante estarmos frios, serenos, em paz. Sabemos o que temos que fazer. A gente deixa esse lado externo para depois. Quando acabar tudo é que vamos saber o que foi feito."
O que esperar do River?
- Cada jogo é diferente. A surpresa vai ser natural, até porque a gente nunca jogou contra esse River. Esse River já ganhou a Libertadores, está sem esse peso. Vai ser completamente diferente do que estamos acostumados no Brasil. Mas acho que chegamos no nosso melhor momento.

Globo Esporte.

 

Repórter PB

Destaques