Futebol Feminino

Se vencer Itália na terça, Brasil vai às oitavas, mas empate e até derrota podem bastar

Regulamento prevê eliminação de apenas oito equipes na fase de grupos, e Seleção tem boas possibilidades se não sofrer goleada

O Brasil precisa vencer a Itália na última rodada da fase de grupos da Copa do Mundo Feminina. Precisa vencer se quiser se classificar às oitavas de final sem depender de ninguém. Se não for possível vencer, no entanto, nem tudo está perdido. O regulamento permite que um empate ou até mesmo uma derrota, mantenha o Brasil na briga por vaga. Isso porque quatro dos seis terceiros colocados das chaves também chegam à fase seguinte.

Para entender melhor a situação do Brasil antes do jogo contra as italianas, na próxima terça-feira, às 16h (de Brasília), em Valenciennes, fizemos abaixo um resumo das possibilidades.

Aliás, se quiser, simule você mesmo os resultados do Mundial.

Brasil vence a Itália
Classificação às oitavas garantida.

Brasil empata com a Itália

Em caso de igualdade, é possível que o Brasil fature a segunda posição do Grupo C, caso a Austrália não derrote a Jamaica. Com vitória das australianas, a Seleção cairia para terceiro, mas manteria saldo de dois gols pró, trunfo interessante no desempate com outros possíveis terceiros colocados - passam às oitavas os quatro melhores terceiros, entre seis grupos.

Vale torcer, por exemplo, para que a lógica prevaleça no Grupos E e F, com vitórias contundentes dos favoritos Canadá, Holanda, Estados Unidos e Suécia, o que deixaria ambas as chaves com dois times com seis pontos e dois zerados. Desta forma, estaria definido que ao menos duas terceiras colocadas fariam menos do que os quatro pontos do Brasil. Portanto, olho vivo nas chaves E e F neste próximo fim de semana.

Brasil perde para a Itália

Há muitas combinações possíveis, já que ainda restam quatro partidas para encerrar a 2ª rodada e a rodada final completa. Tudo indica que uma derrota, de preferência não por muitos gols, mantenha o Brasil com possibilidades de classificação. O jogo será na próxima terça, e a Seleção teria de aguardar até quinta-feira, dia que termina a primeira fase, para saber se estaria ou não classificada. A possível espera para ir embora, inclusive, faz parte do planejamento das confederações junto à Fifa.

Nos Grupos E e F, por exemplo, o ideal seria torcer para que a lógica prevaleça, com vitórias contundentes dos favoritos Canadá, Holanda, Estados Unidos e Suécia, o que deixaria ambas as chaves com dois times com seis pontos e dois zerados. As equipes que estariam sem pontos jogam entre si na rodada final e, se já tiverem saldos muito negativos, favoreceriam a Seleção, ainda que houvesse vitória nesses jogos.

Outra torcida válida pode ser para as donas da casa, que encaram a Nigéria na segunda-feira. Uma - provável - vitória francesa cravaria o Grupo A com terceiro colocado com, no máximo, três pontos. Vale lembrar que bastam dois terceiros colocados fazerem campanhas piores para o Brasil chegar às oitavas de final.

Globo Esporte.

 

Repórter PB

Destaques