Evento

Papo Inspirador: Cendac reúne estudantes para debater gênero e feminismo

A educação e as educadoras na Paraíba do século XX foi o tema trazido por Charlinton Machado para discussão com os estudantes.

O Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente (Cendac) promoveu, nesta quinta-feira (8), em seu auditório, o “Papo Inspirador: falando sobre gênero, feminismo e a ressignificação da história das mulheres no Brasil”, e que reuniu estudantes e professores das escolas cidadãs integrais da Paraíba. O evento contou com a participação dos professores Martha Falcão e Charlinton Machado, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que conversaram com os alunos sobre as lutas realizadas pelas mulheres na educação e na política, e faz parte da quarta etapa do projeto “Ampliando o diálogo sobre violência de gênero nas escolas por meio da percepção de novos olhares na Educação”, parceria do Cendac com a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba.

“Estamos realizando mais um encontro com as comissões de estudantes de cada escola participante de nosso projeto, e nesta etapa, eles vão receber informações que vão ajudá-los na escolha e pesquisa das mulheres inspiradoras, mostra que marcará o encerramento de nosso projeto em outubro”, disse a presidente do Cendac, Valquíria Alencar.

A educação e as educadoras na Paraíba do século XX foi o tema trazido por Charlinton Machado para discussão com os estudantes. Segundo ele, o magistério sempre foi feminilizado e foram estabelecidas diferenças na formação de professoras e professores, marcados por uma lógica patricarcal. “O trabalho das mulheres na educação era a extensão da mãe, a professora seria a cuidadora das crianças e a base dessa formação ao longo do século XX foi construída e legitimada pela família, a religião, a medicina e os legisladores”, afirmou o professor.

Para Martha Falcão, advogada e professora aposentada da UFPB, atualmente o Brasil passa por um momento crítico com a perseguição a universidades e centros de educação, o que vem prejudicando o trabalho dos professores e um retrocesso político em relação às conquistas alcançadas ao longo dos séculos pela sociedade. “As mulheres tiveram um papel fundamental em nossa história, seja na política ou na área educacional. As professoras, mesmo com seu papel de educadora secundarizado pelo Estado, realizaram significativos avanços, pois é através da educação que podemos alcançar mudanças no nosso país, como a igualdade entre mulheres e homens e o fim da violência contra a mulher”, ressaltou. A professora citou ainda nomes de algumas mulheres brasileiras que deixaram sua marca na História e que poderão compor a II Mostra Mulheres Inspiradoras, como Anayde Beiriz, Albertina Correia Lima, Lilia Guedes, Bertha Lutz e Rita Gadelha de Sá.

A estudante Helena Luiza, da Escola Cidadã Integral Padre Hildon Bandeira, inspirou-se nas apresentações dos professores Charlinton Machado e Martha Falcão e recitou um poema escrito por ela durante o evento. “Estou muito feliz em estar aqui hoje e através da poesia quero deixar meu repúdio e luta contra a violência à mulher”, afirmou.

Participaram do encontro as escolas Padre Hildon Bandeira (João Pessoa); Enéas de Carvalho (Santa Rita); Francisca Ascensão Cunha (João Pessoa); Monsenhor Alves Pedrosa (Sapé); Ilza Ribeiro (Conde); João Vinagre (Conde); Severina Ramos (Sobrado); João José da Costa (João Pessoa); Tarcísio Burity (João Pessoa); Antônia Rangel de Farias (João Pessoa); José do Patrocínio (João Pessoa); Olívio Pinto (João Pessoa) e João Roberto (João Pessoa).

Repórter PB

Destaques