Mês das Mulheres

Quarta edição da mostra Matriz reúne teatro, dança e circo de sexta a domingo na TV Funesc

Nesta sexta-feira, as apresentações começam às 18h, na TV Funesc.

Em um formato diferente dos anos anteriores e com transmissão pelo YouTube da Funesc, começa nesta sexta-feira (26) a quarta edição da Matriz – Mostra Feminina de Artes Cênicas. O edital integra a programação de comemoração do Mês das Mulheres e tem parceria com a Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH).


Nesta sexta-feira, as apresentações começam às 18h, na TV Funesc. O público poderá assistir aos vídeos dos espetáculos ‘A Senhora Moo - As quatro fases da mulher’, com Girlene Ferreira (Teatro); ‘Abortar’, com Cristina Resende (Dança); e ‘Marias’, com Aylla Germano (Circo).

Já no sábado (27), também às 18h, será a vez de ‘O Romance de Belinês’, com Raana Rocha (Teatro); ‘Juliana Velask’, com Juliana da Silva Siqueira (Circo) e ‘Colher’, com Alexandra Oliveira (Teatro).

A programação da Matriz fecha no domingo (28), com ‘Pisadas do Cavalo Marinho com Mestra Tina’, com Mestra Tina (Dança); ‘Igbadu - A cabaça da existência - O conto dançado da criação do mundo’, com Jinarla Pereira, Juliana Lima e Caio Ceragiolli (Dança); e ‘Sonho e Fantasia’, com Camila Chaiane (Circo).

O edital de credenciamento para a Matriz foi lançado pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) no dia 18 de fevereiro deste ano, com inscrições online. Até o dia 5 de março, puderam se inscrever mulheres maiores de 18 anos, residentes na Paraíba, para serviços artísticos nas linguagens de teatro, dança, circo. 

 

Teatro - Sinopses

‘A Senhora Moo - As quatro fases da mulher’

Uma mulher de mais de mil anos! Senhora Moon é um texto sobre uma mulher que atravessou muito mais que oito primaveras ou tantos outros invernos. Perpassou o tempo sendo testemunha das mudanças de humor trazidas pelo Vento, executadas com o Tempo. Uma performance em que descama-se as camadas de uma vida inteira. Uma mulher que, para superar a fome, enfrentou a situação de pobreza e miséria que era submetida, voou com o pássaro do Pai até o céu, engoliu a Lua e tornou-se, ela própria. A personificação da Grande Avó. A grande ancestral. A grande anciã. Um Mito-Rito sobre a Finitude das coisas e a eternidade das mulheres.

 

‘Romances de Belinês’

Isolada em sua própria realidade e imersa em sentimentos que não ousa assumir nem para si, Belinês em um impulso de coragem, grava vídeos sozinha em seu quarto, sobre os sentimentos registrados nas folhas e marcados na mente da moça que sente muito, mas tem medo do que vem depois do sentir. Personagem baseada na canção "Romance da Bela Inês", do cantor e compositor Alceu Valença, ela tem o peito dividido entre o Porto Seguro e o Além-Mar.


‘Colher’

A performance teatral ‘Colher’ faz alusão à expressão “em briga de marido e mulher não se mete a colher”. O espetáculo evidencia que “meter a colher” é mais uma tentativa de alerta e despertar da consciência de muitas mulheres que precisam desconstruir o machismo vivenciado diariamente. ‘Colher’ é uma tentativa de combater a violência doméstica e familiar que é naturalizada, em um processo que precisa ser debatido e questionado. O espetáculo é um alerta contra a violência diária contra a mulher e contra o feminicídio.


Dança – Sinopses e ficha técnica


‘Abortar’

‘Abortar’ faz referência a uma vivência pessoal, mas se conecta a experiência de outras mulheres que passaram pelo aborto espontâneo. Espetáculo transforma em arte, movimento, dança, sentimento e fala esse tema que ainda é um tabu. ‘Abortar’ destaca esse corpo que passa pelo luto e pela dor, mas que é potente e capaz de se curar, com coragem pra reagir, transcendendo como escolha para continuar.

 

Ficha Técnica:

Bailarina- Cristina Resende

Imagens e Direção- Ribamar de Souza

Fotografia- Dinarte Silva

Imagens aéreas- Thercles Silva

Músicas – ‘Germinar’ - Flaira Ferro e Ylana Queiroga

(part. Isaar, Sofia Freire, Paula Bujes, Laís de Assis e Aishá);

‘Torre das Mercês’- projeto Axial

Gravação de Áudio- Alcântara Studio, ensaio e produções

Adereços- Laís Luah

Edição e Direção Geral- Cristina Resende

Duração: 14’59”

Classificação: Livre

 

‘Igbadu - A cabaça da existência – O conto dançado da criação do mundo’, com Jinarla Pereira, Juliana Lima e Caio Ceragiolli

- Direção: Angela Gaeta

O vídeo-performance consiste em uma experimentação do corpo e da corporeidade negra a partir da reconexão histórica e ancestral, trazendo à tona um corpo-identidade que se reinventa no contato com a natureza e com as simbologias iorubanas. Tendo como base o (Itan) conto Iorubá da criação do mundo, o vídeo reflete a diversidade das formas de compreensão da criação, apresentando uma cosmopercepção ancestral. Divindades elementares, o tudo e o nada, a inquietação, movimento, transmutação e convergência, gestadas na Igba (cabaça) Adu (criação) que é um grande símbolo africano da fertilidade, da natureza-mãe e dos elementos primordiais da vida.

Ficha Técnica:

Elenco: Juliana Lima, Jinarla Pereira e Caio Ceragioli.

Direção Geral, Direção de Arte, Concepção e Roteiro: Angela Gaeta.

Produção: Angela Gaeta, Caio Ceragioli e Marcella Loureiro.

Edição de áudio: Caio Ceragioli.

Edição e finalização de vídeo: Marcella Loureiro.

Captação: Caio Ceragioli, Cíntia Viana, Jinarla e Marcella Loureiro.

Coreografia: Juliana Lima.

Músicas:

‘Pra Iemanjá’ - DJ Tudo e Sua Gente de Todo Lugar com Dona Adecide Toledo

‘Opanijé’, ‘Canga Django’, ‘Mulheres Negras’, ‘Caminho’, ‘Esquente’ - Grupo Cangarussu

‘Toques de Candomblé’ - Ogan Alexandre Buda

Agradecimentos: Fazenda Coração de Mãe

Duração: 15’

Classificação: Livre

 

‘Pisadas do Cavalo Marinho com Mestra Tina’

O Cavalo Marinho é uma brincadeira da cultura popular composto por dança, musicalidade e teatro. Nesta apresentação, a Mestra Tina demonstra um de seus elementos principais: as pisadas. Jocilene Cunha da Silva, a Mestra Tina, é mestra do Cavalo Marinho Infantil Sementes do Mestre João do Boi desde 2012 e integrante do grupo desde 2005, é Mestra e tocadora de bombo na Ciranda do Sol do saudoso mestre Mané Baixinho e é contra-mestra da Capoeira Angola Comunidade, da qual é aluna do mestre Naldinho desde 1996.

Mestra Tina mantém há anos os ensaios do cavalo marinho todos os sábados na casa de uma antiga cirandeira do Bairro dos Novais, transmitindo os saberes dessa tradição aos mais novos e possibilitando o não esquecimento e a continuidade da brincadeira do boi. Mestra Tina é uma grande referência não apenas na ciranda e no cavalo marinho, mas também na capoeira, sendo sempre convidada para grandes eventos estaduais e nacionais, nos quais costuma dar aulas e falar um pouco da sua trajetória no universo da cultura tradicional.

Produção e gravação: Mestra Tina

Duração: 6’30”

Classificação: Livre

 

Circo – Sinopses


‘Sonho e fantasia’, com Camila Chaiane

Uma jovem mulher sonhadora com desejo de voar cada vez mais alto. Ela traz consigo a magia e o encantamento circense através números de solo e aéreo, mostrando toda sua destreza, força, flexibilidade e simpatia.

Classificação: Livre

Duração: 5’53”

 

‘Marias’, com Aylla Germano

O vídeo performance traz uma homenagem a todas as (Marias) mulheres que apesar de toda lágrima e suor continuam firmes com garra e força e coragem. É uma homenagem também a todas as mulheres nordestinas que tiveram que sair de sua terra natal em busca de melhores condições de vida deixando saudades e lembranças que nem o tempo é capaz de apagar.

Classificação: livre

Duração: 6’15”

 

‘Juliana Velask’, com Juliana da Silva Siqueira

Ballet em argolas, ‘Juliana Velask’ é uma demonstração de toda delicadeza e força que vem de dentro da mulher/bailarina circense, onde o uso das argolas se transforma em uma linda coreografia em pleno ar...

Classificação: Livre

Duração: 5’24”

Repórter PB

Destaques